Q

Previsão do tempo

12° C
  • Wednesday 13° C
  • Thursday 15° C
  • Friday 15° C
12° C
  • Wednesday 13° C
  • Thursday 15° C
  • Friday 15° C
12° C
  • Wednesday 13° C
  • Thursday 15° C
  • Friday 16° C

Chefs em Casa” criou um serviço especial em plena pandemia do Covid-19

Marlene Sousa

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Face à pandemia, “Chefs em Casa” criou serviço especial. Para além da entrega de refeições ao domicílio, leva a casa do cliente, pão, leite, produtos do supermercado e farmácia. Disponibiliza um serviço sem contacto social e com medidas adequadas de segurança e higiene.
“Chefs em Casa” entrega refeições do restaurante “Pinga & Conduto” ao domicílio

O “Chefs em Casa”, empresa das Caldas que entrega de refeições ao domicílio, criou um serviço especial em plena pandemia do Covid-19 para dar resposta a muitos caldenses.

Preocupada com os tempos que se estão a viver em Portugal, a empresa focou-se em encontrar soluções para ajudar as pessoas que não devem sair de casa.

Segundo a responsável do “Chefs em Casa”, Tatiana Henriques, “transformámos o serviço para podermos servir melhor e sermos realmente úteis à sociedade, permitindo que os nossos clientes possam continuar a ter acesso a refeições prontas, entre outras regalias que introduzimos a 17 de março”.

“Quantas mais pessoas pudermos ajudar e usufruírem dos nossos serviços serão menos pessoas nas ruas, nos supermercados, sem correrem riscos e sem prejudicarem a sua família”, salientou a empresária.

Como alguns dos restaurantes parceiros do “Chefs em Casa” estão fechados, a empresa antecipou uma parceria com o novo restaurante, “Pinga & Conduto”, situado na Cidade Nova.

“A sua especialidade é comida tipicamente portuguesa, e vão assegurar a confeção diária de sopa, prato de carne e prato de peixe para todas as nossas encomendas, estando fechados para o público em geral”, informou Tatiana Henriques.

Continua com entrega ao domicilio das iguarias do Funky Sushi.

De forma a evitar o contacto social e a a propagação do Covid-19, o “Chefs em Casa” iniciou na passada semana várias medidas de segurança e higiene. Toda a equipa de distribuição está equipada com luvas, máscaras e desinfetantes e disponibiliza um serviço sem contacto. “Os pagamentos são feitos exclusivamente por MbWay, pois o objetivo é poder deixar a encomenda à porta de casa do cliente sem qualquer interação ou proximidade”, referiu a responsável.

Na terça-feira, a empresa iniciou também a entrega de “pão, bolos e leite, a partir das 9h00 da manhã”. O pequeno-almoço resulta da parceria com a padaria Henriques e da Onibolo-Indústria de Padaria e Pastelaria.

A entrega de refeições confecionadas pelo restaurante Pinga & Conduto é a partir das 12h00 e a partir das 14h30 começam as entregas de bens de primeira necessidade e conveniência, nomeadamente compras de supermercado, farmácia, tabaco e outros itens caso estejam acessíveis, encerrando os serviços às 16h00.

O Chefes em Casa vai ainda entregar frutas e legumes das Hortícolas Xana, das 14h30 às 16h00.

A empresa fez também uma parceria com a Gaeiraoeste -carne fresca, congelados e pescado.

As entregas terão taxas diferentes consoante seja de restaurante, farmácia, supermercado ou entrega apenas de conveniência.

Foi retirado o valor mínimo de encomenda para entregas entre os 5 a 10 quilómetros para assim poder chegar a “mais pessoas”.

Devido ao elevado volume de chamadas que tem recebido, decidiu “abrir mais canais de comunicação com os clientes, para esclarecimentos e receber os seus pedidos”.

O menu semanal/diário do Pinga & Conduto será disponibilizado no site do “Chefs em Casa”, podendo a encomenda ser feita on-line. Para os restantes serviços, disponibilizam-se as redes sociais (Instagram e Facebook) e ainda o WhatsApp (917824821). Nestes pedidos, para facilitar todo o processo, “deverão indicar nome, morada, Nif e itens pretendidos”.

Tatiana Henriques disse que estão a conseguir dar resposta a todos os pedidos de uma forma eficaz, no entanto, pede “a compreensão aos nossos clientes, pois o aumento das entregas, assim como os novos procedimentos de segurança e higiene com desinfeção e trocas de luvas, estão a limitar a operação”.

Para Tatiana Henriques, é uma “altura muito crítica, que obriga a reinventarmo-nos e a pensar ainda mais em como servir a sociedade”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Desconhecimento de projeto para o Montepio leva médicos a demitirem-se

Os cinco médicos do Montepio Rainha D. Leonor (MRDL), que se demitiram, entre os quais o diretor clínico, cessaram funções no dia 30 de novembro, invocando falta de condições para continuar a trabalhar. Revelam “desconhecer em absoluto a estratégia e o projeto do conselho de administração” e apontam que a unidade de saúde como está “não consegue responder com inovação, diferenciação, rigor e qualidade às necessidades dos utentes”.

montepio leonor