Q

Previsão do tempo

20° C
  • Thursday 24° C
  • Friday 31° C
  • Saturday 28° C
20° C
  • Thursday 25° C
  • Friday 32° C
  • Saturday 29° C
21° C
  • Thursday 27° C
  • Friday 36° C
  • Saturday 33° C

Presidente do CDS em jantar com militantes no Carvalhal

Francisco Gomes

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
“O CDS tem futuro e ainda muito para dizer na política do país”, assegurou o novo presidente do partido, Francisco Rodrigues dos Santos, no passado sábado, durante um jantar com 180 militantes na sede da Sociedade Filarmónica Carvalhense, no Carvalhal, freguesia do Bombarral.
Francisco Rodrigues dos Santos em contato com militantes (foto José António)

O dirigente participou antes numa reunião com agricultores e fruticultores de pêra rocha no Núcleo de Cultura, Desporto e Melhoramentos do Carvalhal. No jantar, o presidente do CDS, manifestou esperança de “colorir o distrito com uma malha de implantação da Juventude Popular e do CDS” e o desejo de no Bombarral o partido “continuar a crescer e a Câmara possa ser do CDS”. A nível da política nacional, sustentou a necessidade de um referendo sobre a eutanásia, porque “o que importa ouvir é a consciência dos portugueses e não a dos deputados”, revelando ter recebido dos idosos um apelo para “não permitir que a eutanásia vá para a frente, pois temem que possa ser uma solução para a qual sejam encaminhados e que o Estado os encare como um objeto descartável”. Lamentou que o Serviço Nacional de Saúde “não esteja preparado para dar um médico de família a mais de 700 mil portugueses ou para limitar o tempo de espera para uma consulta urgente, mas já está preparado para a morte assistida”. “Espera-se que invista na vida e não na morte”, frisou. O apoio à terceira idade vai merecer uma atenção especial do programa do CDS, assegurou, apontando a necessidade de “investimento numa rede de cuidadores, de reforço dos apoios sociais e de combate ao isolamento”. “O abandono de animais está criminalizado mas o mesmo não está tipificado do ponto de vista penal em relação aos idosos, porque a esquerda chumbou uma proposta do CDS”, afirmou. Exigiu também ao Governo garantias de resposta ao Covid-19 e explicações sobre o plano de contingência para atacar o surto, reclamando que a ministra da Saúde “garanta um clima de confiança”. Francisco Rodrigues dos Santos defendeu uma maior aposta nas Forças Armadas, que, afirmou, “está em situação de pré-insolvência” e com “carências identificadas”. O CDS vai propor a revisão do estatuto remuneratório, a criação de um quadro permanente de praças, assim como modelos alternativos de recrutamento para serem colmatados os défices de pessoal. “Queremos ser o braço direito dos portugueses e útil a Portugal. Ao contrário de outros, nunca seremos uma direita da demagogia”, concluiu. Este jantar foi organizado pela concelhia do Bombarral do CDS no culminar dos dois anos de mandato. O presidente da concelhia, Hugo Filipe, manifestou que “nestes dois anos apresentámos várias propostas, quer através do nosso elemento da Assembleia Municipal Rui Cunha, quer através da nossa vereadora Rosa Guerra”. “Foi com o CDS e Rosa Guerra enquanto vereadora no executivo que o munícipe começou a ter apoio técnico e a poder requisitar junto da autarquia material e equipamentos de apoio a idosos e deficientes, como por exemplo camas articuladas elétricas. Foi com o CDS no executivo no anterior mandato que também abrimos o gabinete de apoio ao agricultor, e que o Bombarral viu aprovado o seu plano operacional municipal e o plano municipal de emergência, no âmbito da protecção civil. Foi ano anterior executivo que o CDS, através da sua vereadora, executou o projeto CLDS (Contrato Local de Desenvolvimento Social), com uma candidatura de meio milhão de euros, que visa entre outras valências aproximar idosos e famílias através de aplicações tecnológicas. Foi ainda no anterior executivo que CDS apresentou uma candidatura para requalificação energética das habitações sociais do Vale Côvo”, enumerou. Criticou as “festas e festinhas, organizadas pelo município, depauperando o orçamento municipal”, e lembrou que no Bombarral “entre 1976 e 1989, com José Maria do Rosário Guilherme, o CDS foi Câmara e foi com esse executivo que se projetou e executou as grandes obras e equipamentos municipais que servem os nossos munícipes – a escola preparatória, hoje anexada ao agrupamento de escolas Fernão do Pó, o auditório municipal, o anfitetatro municipal, a maioria da rede de água e rede de saneamento básico, o pavilhão municipal”, entre outras. “Defendemos que o futuro Hospital do Oeste seja no concelho do Bombarral, nos terrenos da “Herdade do Falcão”, devido à dimensão necessária e à sua localização central perante os outros concelhos que se servirão do Hospital”, vincou o dirigente, que pretende também uma via circular externa entre o Vale do Leito e a Fonte da Caniceira, retirando o trânsito pesado do interior da vila, e a construção de uma ecovia a ligar o centro do Bombarral e Budah Eden, com um comboio elétrico para cativar os turistas que se deslocam ao empreendimento. A construção de uma infraestrutura onde os pais possam deixar os filhos entre os três meses e os três anos é outra exigência. “Temos pretensão em ser câmara”, admitiu Hugo Filipe.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Vereador contra “duplicação de subsídios”

O vereador do PS na Câmara Municipal das Caldas da Rainha está contra a atribuição de verbas à ADIO – Associação para o Desenvolvimento Industrial do Oeste para fazer face a despesas com eventos na Expoeste, alegando que “já beneficia de uma comparticipação...

Recriação histórica e noite de fados

No passado dia 6 realizou-se uma recriação histórica e noite de fados, tendo como cenário os lavadouros da freguesia do Vau, no concelho de Óbidos. A recriação histórica ficou a cargo do Rancho Folclórico e Etnográfico Estrelas do Arnóia, da Sancheira Grande,...

vau