Q

Previsão do tempo

24° C
  • Friday 26° C
  • Saturday 26° C
  • Sunday 23° C
26° C
  • Friday 28° C
  • Saturday 26° C
  • Sunday 24° C
27° C
  • Friday 30° C
  • Saturday 29° C
  • Sunday 25° C

BE questiona regularização de direitos laborais no Centro Hospitalar do Oeste

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Deputados do Bloco de Esquerda questionaram na Assembleia da República o Ministério da Saúde sobre a regularização de direitos laborais no Centro Hospitalar do Oeste (CHO).

Lembrando que o processo de regularização de precários do Estado (PREVPAP) “possibilitou a regularização de 240 trabalhadoras do CHO, que durante muitos anos estiveram mediados por empresas de trabalho temporário e a garantir necessidades de trabalho permanentes e essenciais ao quotidiano do CHO”, os deputados apontam que “cerca de 180 trabalhadoras, por iniciativa da administração do CHO, foram alvo de um processo inicial de regularização através de contratação a termo incerto, até que o processo do PREVPAP se concluísse e a tutela permitisse a abertura de concursos com vista à passagem aos quadros”. “Atualmente, as trabalhadoras visadas pelo PREVPAP e que estavam disponíveis para a regularização, participaram do concurso e passaram aos quadros, mas não lhes foram reconhecidos os direitos de antiguidade, tendo sido, por exemplo, enquadradas em escalões de remuneração inferiores ao que o seu histórico lhes deveria garantir por direito”, sublinham os deputados do BE. Segundo fazem notar “há ainda um conjunto de direitos em falta para muitas trabalhadoras, que radicam na relação de trabalho com uma entidade privada, a empresa de trabalho temporário que intermediava a relação laboral até ao momento da integração e que, atualmente, por sentença de tribunal, depende da regularização de dívidas do CHO com a respetiva empresa”. “A sentença resultou de uma ação sindical, tendo determinado a penhora da conta da empresa, que não tinha capital suficiente para cobrir o montante em dívida aos trabalhadores, pelo que foi penhorado também o montante em dívida do CHO à empresa, que ultrapassa os 100 mil euros, assim como as dívidas da empresa às trabalhadoras, referentes a indemnizações por caducidade do contrato de trabalho, horas extraordinárias, feriados não gozados e formação profissional em falta”, descrevem os deputados. O Bloco de Esquerda interroga: “Tem o Governo conhecimento da situação exposta? Por que motivo o CHO ainda não liquidou as dívidas com a empresa de trabalho temporário em causa de forma a possibilitar a regularização de pagamentos às trabalhadoras que há tantos anos vêem os seus direitos violados? Quando pretende o Governo garantir o pagamento desta dívida? Que medidas pretende o Governo tomar de forma a garantir o justo reconhecimento dos direitos de antiguidade, que emanam da realidade apurada pelo processo de regularização de precários do Estado, o PREVPAP?”

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Modelo e agricultora em concurso da SIC

A modelo Marie Brethenoux, de 34 anos, que desde 2021 está a viver na Serra do Bouro, nas Caldas da Rainha, onde se ocupa da reformulação da quinta da família, dedicando-se também ali aos trabalhos rurais, vai participar na nova temporada de ‘Quem Quer Namorar com o Agricultor’, programa da SIC.

marie

Deputados perguntam se ministra já decidiu a localização do novo hospital

Deputados do PSD na Assembleia da República questionaram a ministra da saúde sobre declarações do presidente da Câmara Municipal do Bombarral, que disse na abertura do Festival do Vinho e da Feira da Pera Rocha que já tinha sido aprovada a localização do futuro hospital do Oeste no Bombarral, no seguimento dos resultados de um estudo que é contestado por Caldas da Rainha.

marta

Duas festas ao mesmo tempo na Foz

A banda de Alcobaça, The Gift, atua no dia 20 de agosto, pelas 22h, na Avenida do Mar, na Foz do Arelho, e haverá animação com o dj Miguel Simões. A iniciativa integra-se no programa “Caldas Convida”, organizado pela Câmara Municipal das Caldas da Rainha e pela...

WordPress Ads