Q

Previsão do tempo

7° C
  • Tuesday 13° C
  • Wednesday 13° C
  • Thursday 14° C
7° C
  • Tuesday 13° C
  • Wednesday 13° C
  • Thursday 14° C
7° C
  • Tuesday 13° C
  • Wednesday 14° C
  • Thursday 14° C
Filme realizado pelo caldense Miguel Costa

Apresentação de “Uma SMS para Antígona” atraiu 400 pessoas ao CCC

Mariana Martinho

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Cerca de 400 pessoas, divididas em duas sessões, assistiram na passada sexta-feira à primeira projeção pública do filme “Uma SMS para Antígona”, no pequeno auditório do Centro Cultural e de Congressos de Caldas da Rainha (CCC). Este trabalho de média-metragem, que foi realizado pelo caldense Miguel Costa e escrito por Fernando Mora Ramos, será até ao final do ano exibido na RTP2 e conta com “alguns décors naturais” do concelho das Caldas da Rainha, como a Praça da República, o Largo da Copa, o Parque D. Carlos I e a Lagoa de Óbidos.
Apresentação no CCC das Caldas da Rainha

Este projeto, que tem a duração de 20 minutos, surgiu há três anos, quando o realizador estava a preparar uma adaptação para cinema do conto “Madalena”, de Miguel Torga, onde o ator Fernando Mora Ramos iria interpretar a personagem do avô almocreve. Contudo, o projeto, que já se encontrava na fase final da pré-produção acabou por não se tornar viável, pois não conseguiu entrar em acordo, em relação aos direitos autorais.

Na sequência desta cessação, o realizador solicitou ao também encenador Fernando Mora Ramos, que lhe escrevesse um pequeno guião para realizar, visto que “já tinha todo o elenco mobilizado”. Nesse sentido, nasceu “Uma SMS para Antígona”, que é um filme de baixo orçamento, menos de dez mil euros, mas que tem um texto fantástico, com várias camadas e leituras”.

Miguel Costa também explicou que “Fernando Mora Ramos, que interpreta o encenador na média metragem, tentou criar uma analogia entre o drama da Antígona, filha de Édipo, com o drama da personagem principal, a Maria”, que em “SMS” tenta vencer a crueza do pragmatismo de uma sociedade insensível aos dramas e necessidades pessoais.

Segundo o realizador, “Maria é uma aluna de teatro, quer ser atriz mas não tem meios para sustentar o desejo, e por isso trabalha num supermercado uma parte do dia e na outra ensaia “Antígona”, de Sófocles. E, de repente, há uma sobreposição de problemas como a questão de uma sepultura digna para o irmão e no supermercado direitos elementares são-lhe negados, não a deixam interromper a “laboração” e ir à casa de banho. Além disso a personagem principal acaba por engravidar e o pai da criança desandou”.

No fundo, segundo Miguel Costa, “o ator foi buscar esta analogia, no sentido, que a personagem principal também tem os seus ideais e que luta, mas que acaba para ficar com uma criança nos braços e perde o sonho de continuar no teatro”.

O filme, que tem a duração de 20 minutos foi rodado pelo concelho das Caldas durante cerca de oito dias, na última semana de agosto e na primeira de setembro de 2018.

A escolha do local deveu-se ao “amor” que o realizador tem pela cidade e ainda pela “curiosidade de ver como estes espaços iam ficar na ficção”. Nesse sentido escolheu como pano de fundo para abertura a calçada portuguesa, que pavimenta o tabuleiro central da Praça da República, onde um vagabundo cantor, que funciona como metáfora para o artista livre, encontra no chão pisado por milhares de pessoas, uma moeda, a sua fonte de alegria.

Além da “Maria”, a média metragem conta ainda com a presença de diversos caldenses no elenco, como é o caso do Tito em cameo e o coro formado por António Vicente, Filipe Ferreira, Manuel Gil, Virgílio Pimenta e Vítor Duarte.

Para Miguel Costa, que não estava à espera de tantas pessoas, foi “muito bom ver o pequeno auditório cheio”. “Eu, como qualquer pessoa que faça trabalhos artísticos, gosto que os trabalhos sejam vistos, principalmente no cinema. Sem falar que a reação do público é muito importante para os atores e produtores do filme”, relatou.

Na exibição do filme também esteve presente o presidente da Câmara Municipal das Caldas, Tinta Ferreira, que explicou que a autarquia deu o seu contributo para que este filme pudesse ser concretizado. “É um filme muito bonito, que igualmente dá a conhecer e valoriza a nossa cidade”, sublinhou.

A pelicula contou ainda com o apoio da RTP e de diversas empresas e instituições.

Estreia de um documentário na RTP2

Além do “Uma SMS para Antígona”, o realizador caldense também vai estrear nesta quarta-feira, dia 2 de outubro, pelas 23h15 um documentário sobre a “A Voz do Operário”, que realizou por encomenda para a RTP2.

“Fui convidado pela diretora de programas do canal para realizar o documentário, que versa sobre a história da Sociedade de Instrução e Beneficência “A Voz do Operário” e a sua dimensão no presente”, explicou Miguel Costa, adiantando que além de uma evolução narrativa consubstanciada por depoimentos e imagens, conta também com diversas recriações históricas demonstrativas do trabalho operário dos tabaqueiros e da fundação da instituição.

Uma das cenas do documentário foi gravada na antiga sede do Partido Comunista Português, em Caldas da Rainha, onde alguns figurantes também são caldenses.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Vamos Mudar critica utilização da ampliação da Urgência do Hospital

O movimento cívico independente Vamos Mudar (VM), que lidera a Câmara Municipal das Caldas da Rainha, lamenta e desconhece as razões pelas quais as obras de ampliação do Serviço de Urgência do Hospital das Caldas “não estão a ser ainda amplamente aproveitadas”. O VM questiona se é por “falta de acabamentos, de equipamentos ou de recursos humanos”.

vm 2

Mercado de Santana foi palco do início de campanha do CDS com o líder

A campanha para as eleições legislativas começou para o CDS no concelho das Caldas da Rainha, mais propriamente no Mercado de Santana, em Alvorninha, no passado domingo, com a presença do líder do partido, Francisco Rodrigues dos Santos, acompanhado dos cabeças de lista por Leiria e Santarém, António Galvão Lucas e Pedro Melo, respetivamente, para além de outras figuras, como o candidato em nº4 por Leiria, Paulo Pessoa de Carvalho, que nas últimas autárquicas liderou a coligação na qual constava o CDS, que concorreu à Câmara das Caldas.

cds

Homenagem a Luís “Bicau”

A Oeste Rescue, associação de nadadores salvadores, prestou na tarde do passado sábado homenagem ao Luís Alberto, conhecido por “Bicau”, de 44 anos, que há dias foi encontrado morto nas imediações da Lagoa de Óbidos.

bicau