Q

Previsão do tempo

19° C
  • Sunday 24° C
  • Monday 27° C
  • Tuesday 26° C
19° C
  • Sunday 24° C
  • Monday 28° C
  • Tuesday 26° C
17° C
  • Sunday 25° C
  • Monday 29° C
  • Tuesday 29° C

I Gala da Vida no CCC

Diana Dias / Ana Santos

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Realizou-se na passada quarta-feira a I Gala da Vida no Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha, uma iniciativa promovida pelo grupo Concelhio de Apoio à Pessoa Idosa (constituído pela Câmara Municipal das Caldas da Rainha, instituições particulares de solidariedade social) e uniões de freguesias do concelho), com o objetivo de promover o convívio e a animação como parte de uma vida ativa e saudável.
Casa do Povo de A-dos-Francos

Foram apresentadas atuações de teatro, música, poesia e passagem de modelos num espetáculo conduzido pela atriz caldense, e aluna da Universidade Sénior Rainha D. Leonor, Amélia Videira.

A Casa do Povo de A-dos-Francos deu início à gala com um espetáculo de danças com fitas.

Os desfiles de moda também estiveram presentes nesta gala: Centro Social e Paroquial de Santa Catarina (criações dos utentes vestidos de figuras que caraterizassem a sua localidade), Fonte Santa – Centro Social da Serra do Bouro (viagem pela Serra do Bouro) e Centro Social Paroquial Nossa Senhora das Mercês – Carvalhal Benfeito.

A Associação de Desenvolvimento Social da Freguesia de Alvorninha participou com o poema “A velhinha”, de Aurora Pinto, e o poema “A mensagem do Idoso”, de autor desconhecido. O Centro de Apoio Social do Nadadouro apresentou a adaptação de um poema de José Gautier, que intitulou “Junto à lagoa”.

A Associação Social e Cultural Paradense surpreendeu com um clip musical e o Centro de Apoio Social da Freguesia de S. Gregório ­meteu todos a mexer com um concerto rock.

A dramatização e o teatro foram as atuações apresentadas pela Santa Casa da Misericórdia das Caldas da Rainha, com a dramatização do livro “Avós”, de Chema Heras e Rosa Osuna. O Centro Social e Paroquial das Caldas da Rainha levou um teatro musical que representava a Praça da Fruta das Caldas da Rainha com a participação do professor Quitó, que é voluntário da associação, a Associação de Solidariedade Social da Foz do Arelho fez um espetáculo de teatro, comédia e sátira, com o título “Na casa do Sr. Grandela”. A Associação de Desenvolvimento Social da Freguesia do Coto também participou.

A apresentadora Amélia Videira manifestou-se em relação às peças de teatro dizendo que “não há arte mais completa que do que o teatro, porque nós quando dançamos mexemos só o corpito, quando pintamos damos ao braço, quando cantamos damos à goela mas quando representamos usamos o corpo, é o nosso corpo que encarna uma personagem, é a nossa voz que transmite essa personagem, cantamos, respiramos. O teatro é uma arte completíssima, é importante que todas as instituições tenham teatro, é importante que as escolas tenham teatro, é importante que o teatro esteja por toda a parte porque o teatro anima a vida”.

Foi difícil para a vereadora da Ação Social do Município das Caldas da Rainha, Maria da Conceição Pereira, exprimir os seus sentimentos e emoções relativamente à tarde que se passou no CCC, dizendo apenas que a gala foi “sem dúvida um orgulho para o concelho”.

O trio Cauda da Tesoura encerrou o espetáculo com interpretações de músicas portuguesas bem conhecidas de todos.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

O carnaval na obra de Rafael Bordalo Pinheiro

O Centro de Artes e Criatividade (CAC) de Torres Vedras inaugurou no dia 29 de setembro a nova exposição temporária “A “Mascarada Política” – O Carnaval na obra de Rafael Bordalo Pinheiro (1870-1905), que estará patente até 5 de fevereiro de 2023. 

bordalo

Jorge Castro lança livro na Biblioteca

Organizado pela Comunidade de Leitores e Cinéfilos das Caldas da Rainha, realiza-se no dia 15 de outubro, pelas 14h30, na Biblioteca Municipal das Caldas da Rainha, o lançamento, na região Oeste, do 18.º livro de Jorge Castro, "Isto, agora são outros 70...", um retrato de Portugal com cerca de 200 fotografias comentadas, do período de 1970 a 1974.

jorge