Q

Previsão do tempo

21° C
  • Wednesday 21° C
  • Thursday 19° C
  • Friday 20° C
21° C
  • Wednesday 22° C
  • Thursday 19° C
  • Friday 20° C
21° C
  • Wednesday 23° C
  • Thursday 19° C
  • Friday 21° C

Família de criança com doença rara reclama transporte em ambulância

Francisco Gomes
16 de Agosto, 2018
A família de uma criança de oito anos com incapacidade permanente global de cerca de 100 por cento e que sofre de uma doença rara que já a levou a ser operada duas vezes, a última das quais à anca esquerda, estando nesta altura engessada, queixa-se por não ser disponibilizada uma ambulância para transportar o rapaz desde a sua residência, na vila da Nazaré, até ao Hospital D. Estefânia, em Lisboa, para ir a consultas e para retirar o gesso que cobre o seu corpo.
Tiago Soares tem oito anos e sofre de uma doença rara genética

O trajeto tem de ser efetuado num transporte adequado e cada viagem, na distância de 240 quilómetros, custa perto de 200 euros, mas de acordo com a avó de Tiago Soares, “não temos ajudas e é negada a ambulância porque a mãe [que vive com a criança na casa dos pais] não é considerada como insuficiente económica, apesar de só ganhar 600 euros, pouco mais que do que salário mínimo, embora agora esteja de baixa para cuidar da criança”.

Margarida Macatrão relatou que “o médico que operou o Tiago passou a credencial para o transporte na ambulância mas os serviços administrativos do Hospital D. Estefânia negaram”.

“A título excepcional o hospital cedeu uma ambulância para o primeiro transporte mas disse que não haveria mais”, contou a família, questionando: “Onde está a lei que protege uma criança deficiente? Parece que estão a fazer um grande favor mas ele não vai ao hospital para passear”.

A situação indigna a família: “Estão a tratá-lo como se fosse um parasita da sociedade. Agradecemos a todos os que manifestaram interesse em ajudar, mas só queremos justiça perante estes casos e que seja o Estado a assegurar todos os direitos da criança”.

O Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC), do qual depende o Hospital D. Estefânia, informa que “não é verdade que tenha sido recusado transporte”.

“Apesar da família não cumprir os critérios de insuficiência económica, o CHLC, tendo em conta a situação clínica da criança, providenciou o transporte para a residência após o internamento. Esteve, também, sempre assegurado o transporte da criança para a consulta e o regresso a casa, através dos Bombeiros Voluntários da Nazaré, tendo a família disso conhecimento”, sustenta o centro hospitalar. A família mantém a versão e considera que a resposta do hospital se deve às várias queixas e exposição mediática que o caso teve.

Luta por qualidade de vida

Aos seis meses foi feito o primeiro diagnóstico, que acompanhou a falta de controlo do corpo e de visão que se constataram ao longo do crescimento e só este ano, após diversos exames, é que se definiu tratar-se de uma doença rara genética que afeta a parte motora e a fala – tetraplegia espástica e microcefalia progressiva.

Segundo o atestado médico de incapacidade, o utente é portador de multideficiência profunda. Não há previsões de cura, pelo que resta lutar por criar condições de qualidade de vida dentro do possível. Tiago faz terapia todos os dias para não ficar encolhido e com mais problemas ósseos.

Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Atribuição de 75 bolsas de estudo nas Caldas

Decorre até 12 de novembro o prazo para apresentação das candidaturas para atribuição de 75 bolsas de estudo, no valor unitário de 800 euros, relativas ao ano letivo 2021/2022, destinadas a alunos oriundos de agregados familiares carenciados que pretendam prosseguir estudos em estabelecimentos de ensino superior sediados fora do concelho das Caldas da Rainha.

pexels stanley morales 3186386

Clube de Leitura presencial

A Biblioteca Municipal das Caldas da Rainha acolhe a realização do Clube de Leitura em formato presencial, organizado pelas leitoras Marta Ambrósio e Elisa Santos, no dia 30 de outubro, pelas 15h00.

Concerto “Música e Monumentos”

O Largo da Igreja, no Bombarral, foi palco, na noite do passado sábado, do concerto “Música e Monumentos”, pela Banda de Música do Círculo de Cultura Musical Bombarralense.

banda