Q

Previsão do tempo

14° C
  • Saturday 21° C
  • Sunday 22° C
  • Monday 22° C
15° C
  • Saturday 21° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 23° C
15° C
  • Saturday 23° C
  • Sunday 25° C
  • Monday 25° C

Caldas e Óbidos querem uma visão turística conjunta para o Oeste

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Caldas da Rainha e Óbidos querem que a região Oeste tenha uma visão e ação conjunta, de forma a criar escala e atrair mais turistas que procuram experiências autênticas.
Workshop “Inteligência Competitiva: Competitividade e Sustentabilidade”

Esta perspetiva foi defendida pelo presidente da Câmara de Óbidos, Humberto Marques, e pelo vice-presidente das Caldas, Hugo Oliveira, em mais um “workshop” dinamizado pela Óbidos.com – Associação Empresarial do Oeste. O encontro teve lugar a 17 de março, no espaço Ó, em Óbidos, no âmbito do projeto “Turismo Criativo e Sustentável – O Futuro do Oeste”.

Na sessão Humberto Marques anunciou que três multinacionais irão investir 54 milhões de euros na segunda fase do Parque Tecnológico de Óbidos.

No debate do workshop “Inteligência Competitiva: Competitividade e Sustentabilidade”, que decorreu durante a manhã, o vice-presidente da Câmara das Caldas, Hugo Oliveira, disse considerar que é necessário ter uma perspetiva cada vez mais vasta do território e nisso a OesteCim tem um papel fundamental. “Para atrair turistas ao Oeste como um todo”, disse.

Entre as câmaras de Óbidos e Caldas já existem conversações para iniciativas em conjunto, por exemplo, fazendo com que as duas redes de transportes urbanos atuem em concertação. “Podemos ter um vaivém durante o dia inteiro entre Caldas e Óbidos”, referiu.

Também o edil de Óbidos defendeu que a região deve agir como um todo, de forma a ganhar escala e ser mais competitiva. “É preciso ter uma lógica territorial continuada”, afirmou. “Isso torna mais fácil a internacionalização da região, mas de uma forma diferenciadora e não pelo fator preço. Esse trabalho passa também pela capacidade em fixar no território os novos talentos”, indicou.

Para o presidente da Câmara de Óbidos, Humberto Marques, o turismo deve ser um denominador comum de ativação de outros setores da comunidade económica.

O autarca referiu ainda que é preciso ajustar a oferta da região à procura que existe. “Temos de perceber como responder a essa procura, percebendo a evolução do mercado e, às vezes, andando à frente do tempo”, disse.

Para Hugo Oliveira, o setor público tem um papel importante, criando as condições necessárias, com uma visão estratégica e dando espaço para que os privados assumam o seu papel. No caso das Caldas, apostou-se na reabilitação urbana, de forma a ter melhores condições para receber as pessoas.

Segundo o autarca, a procura de experiências, por parte dos turistas, é uma oportunidade para uma região como o Oeste. São depois os próprios turistas quem faz a publicidade à região, partilhando nas redes sociais e noutros fóruns as experiências que tiveram. “As plataformas digitais passaram a ser um meio que os turistas utilizam para saber tudo do que precisam de saber para as suas férias”, adiantou.

O município caldense quer apostar numa melhor divulgação dos produtos do concelho, por exemplo, com a criação de rotas temáticas. Hugo Oliveira destacou a rota dos ceramistas, que irá incluir os mais de 50 ceramistas que laboram no concelho. “Temos de perceber as mais valias que temos e desenvolver experiências a partir daí”, manifestou.

Duarte Lima Mayer, empresário e presidente da associação “Build The City”, elogiou a forma como a associação Óbidos.Com envolveu várias entidades para discutir esta temática, numa altura em que Portugal está a ter tanto sucesso ao nível turístico.

Para este especialista, o mais importante é a “massa cinzenta” que exista numa região e a existência de bons líderes que possam aproveitar o que cada um tem de melhor, tendo uma perspetiva de conjunto.

O empresário e professor Almerindo Almeida abordou a forma como as regiões se devem preparar para ter políticas ambientais que sejam uma mais-valia também para atrair turistas. Foi também com satisfação que viu a vontade dos dois autarcas das Caldas e de Óbidos em quererem que a região trabalhe em conjunto. “Isso permite ter uma melhor perspetiva de turismo sustentável”, adiantou.

Da parte da tarde, teve lugar o workshop “Inteligência Competitiva & Inovação: Oportunidades em Novos Negócios” com o empresário Marco Galinha, que foi um dos investidores da edição nacional do programa “Shark Tank” e a médica psiquiatra Paula Carvalho, que é presidente da EGATIN (European Group Analytic Training Institutions Network).

Os próximos workshops realizam-se a 3 de abril, também no Espaço Ó, em Óbidos. Da parte da manhã, das 9h00 às 13h00, Ricardo Duque, presidente da associação que gere o Espaço Ó, e Daniel Pinto, diretor da Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste, irão dinamizar o tema “Design Thinking”. Durante a tarde, das 14h00 às 18h00, terá lugar o workshop “Empreender e Financiar Projetos”, com Gonçalo Castro Gomes (coordenador do Núcleo de Apoio ao Investimento Turístico – Turismo Centro de Portugal) e Nuno Mendonça, diretor geral da Núcleo Inicial – Business Solutions.

O próximo Seminário vai-se realizar a 20 de abril, no Museu Municipal de Óbidos, com o tema “Diversificação da Economia Regional”. Os oradores serão Pedro Machado (presidente do Turismo do Centro), António Ceia da Silva (Presidente do Turismo do Alentejo – ERL) e Miguel (gestor de cliente na área de instrumentos financeiros ao investimento, inovação e empreendedorismo no turismo e apoio às empresas turísticas na instrução, registo e licenciamento de projetos turísticos, no Turismo de Portugal).

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Ministra da Modernização veio acompanhar criação de região inteligente

A Comunidade Intermunicipal do Oeste recebeu na sua sede, nas Caldas da Rainha, no passado dia 20, a ministra da Juventude e Modernização, Margarida Balseiro Lopes. No centro das atenções esteve o Projeto Oeste Smart Region, num encontro que assinala mais um passo na jornada da região Oeste rumo à transição digital.

ministra

Licenciatura de biotecnologia em Peniche sem desemprego

O curso de licenciatura de biotecnologia, da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar de Peniche está entre os 45 cursos superiores em Portugal com uma taxa de desemprego de zero por cento, segundo dados divulgados pelo Portal InfoCursos, do Ministério da Educação, Ciência e Inovação (MECI), sendo a única formação em biotecnologia na lista.