Q

Previsão do tempo

13° C
  • Friday 17° C
  • Saturday 13° C
  • Sunday 16° C
14° C
  • Friday 17° C
  • Saturday 14° C
  • Sunday 16° C
14° C
  • Friday 17° C
  • Saturday 14° C
  • Sunday 17° C

Biblioteca do Cadaval promoveu encontro com Pedro Chagas Freitas

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A Biblioteca Municipal do Cadaval promoveu, no passado dia 26, um encontro com o escritor Pedro Chagas Freitas. A iniciativa permitiu ao público ficar a conhecer o percurso de vida de um dos escritores mais lidos em Portugal, cujo reconhecimento surge através das redes sociais.
Pedro Chagas Freitas e a vice-presidente da Câmara do Cadaval, Fátima Paz

Foi precisamente a rede social “Facebook” que deu visibilidade ao autor do conhecido best-seller “Prometo Falhar”, tal como relatou Pedro Chagas Freitas, durante a iniciativa no Cadaval.

“Quando é lançado o “Prometo Falhar” (em 2014), eu já tenho mais de 100 mil pessoas no Facebook”, refere o próprio. Ao contrário do que se poderia pensar, o escritor contava já “com muitas obras escritas, que nunca foram publicadas e que, se calhar, nunca vão ser”, avançou.

Segundo o escritor, o título “Prometo Falhar” vem da conjugação de um conceito positivo com outro negativo. “Temos aquela ideia de que falhar é terrível; ninguém gosta de falhar. Por outro lado, todos nós somos viciados em prometer”, observou.

Pedro Chagas Freitas enunciou, em tom jocoso, uma série de “falhas de profissão” por que passou – operário fabril, nadador-salvador, porteiro, “barman” ou jogador de futebol (neste caso, por vários anos). O autor destacou, durante a sessão, a importância de falhar e de saber falhar na trajetória de vida.

“Aos 35 anos, decidi que iria viver do que escrevia, fosse escrever para jornais, revistas, o que quer que fosse, mas nunca pensei viver dos livros que vendo. Aliás, os meus primeiros livros, fui eu que os paguei”, contou.

Foi com a profissão de jornalista desportivo que começou a ganhar dinheiro a escrever, aquando da frequência do segundo ano do curso superior de Linguística.

O seu currículo inclui, ainda, a função de redator de publicidade (copywriter), afirmando ter escrito anúncios para diversas marcas. “A criatividade é muitas vezes o que faz o caminho”, defendeu, descrevendo como começou a trabalhar em publicidade sem ter currículo na área. “Em vez do currículo, mandei uma caixa gigantesca com uma alface dentro e um cartãozinho a dizer “Vimaranense quer ser alfacinha”, porque a agência ficava em Lisboa. Em baixo, indiquei só o meu email. Dois dias depois, já tinha resposta”.

O seu mais recente livro, “A Repartição”, publicado pela editora “Desrotina”, é considerado uma sátira dos tempos modernos. “Quis tentar perceber como é que podemos explorar, de forma emocional e ao mesmo tempo satírica, algo que à partida é tudo menos interessante em termos poéticos e artísticos, que é o espaço de uma repartição de finanças”, descreveu Pedro Chagas Freitas. “Gostava que as pessoas se identificassem com a Esmeralda Caçador e com o Anacleto Toupeira. Porque nós, no fundo, somos um bocadinho a mistura de caçadores com toupeiras – às vezes queremos esconder-nos, outras vezes queremos caçar”, acrescentou o autor.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Festival das Sopas ajuda jovens

O I Festival das Sopas vai realizar-se no Centro Paroquial de Salir de Matos, nas Caldas da Rainha, no dia 18 de dezembro,pelas 13h. O evento contará com sopa da pedra, sopa de peixe, sopa de legumes e canja. Também haverá petiscos, filhós, café da avó...

Idosos com festa de natal no Nadadouro

Os utentes do cartão municipal do idoso nas Caldas da Rainha têm uma festa de natal no dia 15 de dezembro, pelas 12h, naAssociação Cultural e Recreativa do Nadadouro. As inscrições são obrigatórias até dia 12, na junta de freguesia da área de residência ou ao...