Q

Previsão do tempo

13° C
  • Thursday 16° C
  • Friday 19° C
  • Saturday 18° C
13° C
  • Thursday 16° C
  • Friday 19° C
  • Saturday 18° C
14° C
  • Thursday 17° C
  • Friday 20° C
  • Saturday 18° C

Caldas Rugby Clube vence em Lisboa

15 de Março, 2017
O Caldas RC deslocou-se, no passado domingo, ao estádio 1º de maio, em Lisboa, para defrontar o RC S. Miguel, procurando a sua primeira vitória fora de portas, na 14ª Jornada do CN 1ª Divisão.
Caldas Rugby Clube

A jogar contra o vento, entrou melhor o Caldas. E aos 7 minutos, após conquista de alinhamento já nos 22 metros adversários, a oval foi jogada com critério a toda a largura e, intercalando-se bem, o “arrier” Gonçalo Silva obteve o toque de meta de belo efeito. A transformação, por “Tommy Lamboglia, não teve êxito.

Reagiram os Buldogues e, aos 13 minutos tiveram a sua primeira oportunidade de pontuar, contudo, a tentativa de transformação de pontapé de penalidade não resultou.

Os pelicanos tiveram, então, uma fase de domínio mas as jogadas à mão acabavam por se gorar no contacto final. 1º Quarto: CR S. Miguel – 0 / Caldas RC – 5.

Foi a vez do S. Miguel tentar pontuar, através de várias fases dos seus avançados, mas o Caldas esteve forte a defender.

Aos 33 minutos, o S. Miguel transformou uma penalidade, por infração no ruck, colocando o marcador em CR S. Miguel – 3 / Caldas RC – 5.

O Caldas reagiu e instalou-se nos 22 metros adversários. Por diversas vezes o ensaio esteve eminente, mas os buldogues defenderam com coragem e erros de manuseamento dos pelicanos impediram a alteração do marcador.

Finalmente aos 39 minutos, e em nova formação ordenada conquistada – o Caldas esteve muito bem neste domínio – penetração rápida do 1º centro Pelicano Jonathan “Nilas” Nolan, regressado de lesão, e o ensaio, que já tardava, concretizado. Transformação perfeita de “Tommy” Lamboglia. 1ª parte: CR S.Miguel – 3 / Caldas RC – 12.

A favor do vento o Caldas reentrou decidido a resolver o encontro. E, por diversas vezes, o jogo esteve nos 22 metros da equipa da casa, mas fosse por erros de manuseamento ou por perdas no contacto e nos rucks, o S. Miguel foi mais agressivo, no bom sentido.

Aos 53 minutos, numa conquista numa mellée, o S. Miguel jogou rápido pelo centro e chegou ao ensaio, bem transformado. Jogo relançado.

Os pelicanos responderam e um primeiro pontapé de penalidade bem transformado por “Tommy” Lamboglia aos 55 minutos e um segundo aos 57 minutos, também obra do abertura caldense, colocaram o resultado a uma diferença de 8 pontos. 3º Quarto: CR S. Miguel – 10 / Caldas RC -18.

Defendendo a linha de vantagem e colocando a oval nos 22 metros defensivos do S. Miguel, através de pontapés táticos, o Caldas chegou a novo toque de meta aos 63 minutos. Nova conquista no alinhamento, moule, abertura rápida a toda a largura do campo, penetração do 1º centro Jonathan “Nilas” Nolan, na talvez melhor jogada do encontro. A transformação não se concretizou. CR S. Miguel – 10 / Caldas RC -23.

Continuaram os pelicanos na mesma toada, mas diversas jogadas à mão acabaram com várias faltas no ruck.

Numa dessas penalidades o S. Miguel jogou rápido à mão e uma desatenção defensiva do Caldas permitiu, aos 67 minutos, uma penetração de mais de 60 metros e um ensaio fácil. Com a transformação o resultado ficou de novo nivelado, CR S. Miguel – 17 / Caldas RC – 23.

Sentindo o perigo os Pelicanos mantiveram a sua toada de jogo. Oval colocada na área defensiva, conquistas nos alinhamentos, boa circulação à mão e as oportunidades apareceram. Uma primeira penalidade, aos 74 minutos, bem transformada por “Tommy” Lamboglia e ensaio por Nika Charkviani, na altura já a jogar a 2º centro, transformado pelo chutador Pelicano de serviço, aos 78 minutos puseram o marcador no resultado final: CR S. Miguel – 17 (2 E, 2 T, 1 P) / Caldas RC – 33 (4 E, 2 T, 3 P).

Vitória justa dos pelicanos, equipa com melhor rugby. Réplica corajosa dos buldogues. O jogo foi correto do ponto de vista disciplinar, com exceção de um único episódio.

Arbitragem assegurada por elementos dos dois clubes, S. Miguel na 1ª parte e Caldas na 2ª parte, por acordo entre ambos, sem reparos de maior.

O CRC alinhou com Luís Gaspar, David Esteves, Rui Santos, Cristiano Manuel, Bruno Martins, Leonardo Ferreira, Ricardo Marques (cap.), Nika Charkviani, Salvador Cambournac, Tomás Lamboglia, Diogo Vasconcelos, Jonathan Nolan, Pedro Madaleno, Mateus Neves, Gonçalo Silva, João Vicente, Filipe Nobre, Sebastião Vasconcelos, Gonçalo Sampaio, Cristóvão Monteiro

Treinador: Patricio Lamboglia; Treinador Adjunto: Guilherme Neves; Fisioterapeuta: Rodrigo Santos/Physioclem; Diretor: António Ferreira Marques.

Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Caldas venceu dérbi do Oeste

À sexta jornada, o Caldas Sport Clube impôs a primeira derrota ao Torreense, líder da Série B da Liga 3, com 13 pontos, vencendo no passado domingo, por 2-0. Somou o seu terceiro triunfo na competição, registando agora 10 pontos.

caldas1 1

Atleta caldense participou na corrida que atravessa a ilha da Reunião

O atleta Guilherme Lourenço, de 32 anos, natural de Relvas (Santa Catarina), nas Caldas da Rainha, participou de 21 a 24 de outubro na Diagonale des Fous (Grand Raid) corrida que atravessa a ilha da Reunião e que é conhecida como uma das mais difíceis do mundo.

corrida