Q

Previsão do tempo

19° C
  • Friday 26° C
  • Saturday 28° C
  • Sunday 28° C
20° C
  • Friday 28° C
  • Saturday 29° C
  • Sunday 29° C
20° C
  • Friday 32° C
  • Saturday 32° C
  • Sunday 32° C

Dúvidas sobre os resultados das análises dos dragados na Lagoa

Mariana Martinho

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A Comissão Cívica de Proteção das Linhas de Água e Ambiente critica o resultado das análises feitas pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e pelo Proman - Centro de Estudos e Projetos, SA aos sedimentos nos canais e bacias a dragar na zona do Braço da Barosa, que aponta que o grau de contaminação “não excede as classe mínimas”, podendo ser colocados no cordão litoral ou nas margens da lagoa.
Elementos da Comissão Cívica de Proteção das Linhas de Água e Ambiente

De acordo com Vítor Dinis, porta-voz da comissão, ”somos do tempo em que a grande preocupação não era o dinheiro necessário para intervir, mas onde é que iriam ser colocados os dragados que eram altamente tóxicos”, visto que o ex-Instituto Nacional da Água (INAG), que tinha a responsabilidade pela Lagoa de Óbidos, sempre alertou para “o alto valor tóxico que os dragados tinham e onde iriam ser colocados”.

”Ninguém acredita que em dois anos se possa normalizar uma situação com décadas”, frisou o responsável, duvidando do facto das análises “não terem um desequilíbrio que exceda as classes mínimas”. No entanto, o documento enviado pela APA à comissão destaca que ”o facto de há alguns anos terem sido encontrados vestígios de contaminação superior, não invalida que tenha havido melhoria, dado o poder natural da depuração da lagoa e a franca melhoria do tratamento dos esgotos pelas autarquias”.

Outra das preocupações da comissão é o nível de profundidade a que foram recolhidas as colheitas para a realização das análises, visto que os sedimentos mais tóxicos encontram-se em maior profundidade no lodo.

A comissão já procurou no mercado outra instituição que possa fazer este tipo de análises, mas até agora ”não há nenhuma entidade que faça”. Por isso, garantiu que o movimento irá reunir-se com as autarquias das Caldas e Óbidos para apresentar os resultados das análises e ainda irá fazer uma exposição ao primeiro-ministro, caso não seja apresentada nenhuma alternativa. Posteriormente, “vamos pedir à Comissão Europeia que nos acompanhe e colabore com o movimento para não deixar que se faça uma intervenção sem analisar concretamente o grau de gravidade ali existente”, concluiu.

Mariana Martinho

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Alojamento na Serra do Bouro ganha prémio do Tripadvisor

A Flamboyant Boutique B&B, um alojamento de pequena escala na Serra do Bouro, nas Caldas da Rainha, ganhou o prémio Best of the Best 2024 do Tripadvisor, plataforma de avaliações que permite ao utilizador ficar a saber os melhores preços para tudo o que precisa na sua viagem, para além de informações e opiniões de conteúdos relacionados com o turismo.

Flamboyant1

Sofia está desaparecida

Ana Sofia Sousa Ribeiro, de 28 anos, foi supostamente passar uns dias em casa de uma amiga, em Lisboa, no passado dia 19, mas está desaparecida desde então, relata a família.

desaparecida

“Há Festa na Bordalo”

A Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro, nas Caldas da Rainha, é palco da iniciativa “Há Festa na Bordalo”, no dia 4 de junho, para encerramento do ano letivo.