Q

Previsão do tempo

17° C
  • Saturday 20° C
  • Sunday 19° C
  • Monday 18° C
17° C
  • Saturday 21° C
  • Sunday 19° C
  • Monday 18° C
17° C
  • Saturday 22° C
  • Sunday 21° C
  • Monday 20° C
Conflito entre EDP e Câmara

Empresa de Valado dos Frades impossibilitada de ligação à energia elétrica

Francisco Gomes

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Uma empresa da Área de Localização Empresarial de Valado dos Frades, na Nazaré, queixa-se de não ter acesso a energia elétrica para laborar porque a autarquia não cede a propriedade das infraestruturas de média tensão à EDP para integração na rede nacional de distribuição, a partir do qual se iniciaria o fornecimento. A unidade industrial funciona ligada a geradores e estima prejuízos que já ultrapassam os 600 mil euros. A MD Plastics, fábrica de artigos plásticos para a indústria automóvel, foi um investimento de dez milhões de euros e empresa 90 funcionários. Exporta 95% da produção, estima este ano um volume de negócios de cinco milhões de euros e quer expandir-se, criando mais 50 postos de trabalho, porque não consegue dar resposta a todas as encomendas. O fornecimento de energia elétrica é um obstáculo.
Os responsáveis da empresa estão indignados

“Já houve uma sentença em tribunal em que a Câmara deveria passar a posse e propriedade das infraestruturas à EDP e tal não aconteceu”, refere Manuel Domingues, sócio-gerente.

A Câmara recorreu da sentença alegando que está a “zelar pela legalidade” e que não pode transmitir à EDP a propriedade das infraestruturas elétricas realizadas em domínio público municipal (nos passeios e nas vias de circulação automóvel), pois “estaria a oferecer um bem a terceiros” e a cometer crime de peculato. Admite apenas a transmissão da posse das infraestruturas.

Para a empresa, a recusa da autarquia é inédita no país e as consequências são negativas. “Estamos a ter uma despesa enorme com aluguer de geradores e com o gasóleo e mesmo assim estamos limitados a 50% da nossa capacidade produtiva porque não é possível para os equipamentos que temos aqui ter a fábrica completamente a laborar só com geradores”, relatou Nuno Cipriano, sócio-gerente.

Os responsáveis da empresa argumentam ainda que têm neste momento “prejuízos diretos (com combustível e geradores) superiores a 60 mil por mês, sem contar as perdas diretas pela não utilização de toda a capacidade instalada (cerca de 50%) nem perdas indiretas pelo não cumprimento de compromissos assumidos com clientes”. Está ainda em causa “a sustentabilidade dos 90 postos de trabalho atuais”.

A situação já se arrasta desde novembro de 2015, quando a empresa solicitou à EDP o fornecimento de energia, recebendo como resposta que era necessário a Câmara entregar as infraestruturas elétricas para integração na rede nacional de distribuição, o que a autarquia entende ser “inalienável”.

O caso é agora dirimido em tribunal. Houve uma sentença proferida na sequência de uma providência cautelar no Tribunal Administrativo e Fiscal de Leiria, posteriormente confirmada pelo Tribunal Central Administrativo do Sul, no âmbito do recurso apresentado pelo Município, que obriga o Município “a transferir a propriedade e a posse das infraestruturas elétricas para a concessionária EDP até à decisão da ação”. A Câmara alega que “não existe qualquer decisão judicial definitiva”. A autarquia “não se conforma com a decisão e está a analisar a reação à mesma, na defesa do interesse municipal e do domínio público”.

Francisco Gomes

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

José Viegas com duplo título de campeão nacional de veteranos

José Viegas, que reside nas Caldas da Rainha e foi um dos melhores praticantes nacionais de ténis de mesa, tendo representado o Sporting das Caldas para além de FC Porto, Benfica, Sporting e Clube 81 Huelva de Espanha, entre outros, e foi internacional por Portugal e com inúmeros títulos nacionais, conquistou nos dias 18 e 19 de maio, na Figueira da Foz, na categoria de veteranos, o Campeonato Nacional Individual e de Pares.

viegas