Q

Previsão do tempo

20° C
  • Wednesday 27° C
  • Thursday 25° C
  • Friday 25° C
20° C
  • Wednesday 27° C
  • Thursday 25° C
  • Friday 26° C
20° C
  • Wednesday 29° C
  • Thursday 27° C
  • Friday 28° C

Moção sobre a linha do Oeste

Francisco Gomes

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Assembleia Municipal das Caldas da Rainha pede ao governo alargamento da eletrificação
Fernando Costa foi à assembleia falar da Linha do Oeste

A Assembleia Municipal das Caldas da Rainha aprovou, no passado dia 23, uma moção a enviar ao ministro do Planeamento e Infraestruturas, para que o governo “considere a necessidade da modernização da Linha do Oeste envolver a eletrificação do troço entre Meleças e Louriçal, para além da automatização de sinais e agulhas e o prolongamento de troços de cruzamento”.

O documento pede ainda que seja considerada “a possibilidade de correções no traçado, ou mesmo, de estudos de alternativa àquele, com o objetivo de reduzir o tempo de viagem, designadamente a jusante das Caldas da Rainha”.

A moção refere que “após sucessivos anos de anúncios governamentais do lançamento de projetos para a modernização da Linha do Oeste nunca levados à prática, foi agora tornado público um novo projeto de intervenção parcial neste troço ferroviário, para ser concretizado até ao terceiro trimestre de 2020”.

“A eletrificação do troço abrangerá somente a linha entre Meleças e Caldas da Rainha, esquecendo o troço a montante até ao Louriçal”, indica a moção, que aponta que a Linha do Oeste “alberga potencialidades que, devidamente exploradas, o podem transformar num eixo de transporte de passageiros e de mercadorias envolvendo simultaneamente a área metropolitana de Lisboa e as regiões do Oeste e do Centro, com impacto muito positivo no plano económico, social e ambiental”.

Nessa reunião, no período aberto ao público, Fernando Costa, anterior presidente da Câmara das Caldas e atual vereador em Loures, fez uma intervenção como presidente da Plataforma da Sustentabilidade da Linha do Oeste (movimento que foi criado há vários anos para evitar o encerramento da Linha do Oeste para norte) para dar conta da reunião de assembleias municipais dos distritos de Lisboa (norte), Leiria e Coimbra que ia ter lugar na noite seguinte em Loures.

Tratava-se de um encontro de autarcas de todos os concelhos servidos pela Linha do Oeste, para discutir o seu futuro: modernização-eletrificação e alteração de traçado para melhorar o tempo de deslocação.

“Não é uma questão para ser partidarizada. Caldas da Rainha e Torres Vedras são os dois concelhos mais interessados no futuro da Linha do Oeste. Ou se põem em uníssono numa posição firme com o governo ou nem sequer chega a eletrificação até às Caldas”, alertou.

“A eletrificação reduz a chegada a Lisboa em dez ou quinze minutos. O grande problema da competitividade é o tempo, em relação aos autocarros. Por isso é que existem estudos para criar um arco de ligação da Linha do Oeste a Malveira, por Loures, que encurtaria a viagem em 40 minutos. É tão importante esta ligação como a eletrificação. Esse é o grande desafio”, defendeu, assegurando que a sua intervenção não teve outros objetivos senão “ajudar as Caldas”. “Não se preocupem com outras razões”, comentou, em resposta ao rumor de que estaria a preparar uma candidatura à Câmara. Aproveitou ainda para revelar o seu “desgosto” com a doença do ceramista Ferreira da Silva, que receia estar “num estado irreversível”. “O município muito lhe deve”, afirmou.

Jaime Neto, do PS, manifestou que a Linha “é um eixo estruturante de todo o Oeste e da área metropolitana de Lisboa, e ao contrário do anterior governo, este governo apresentou um calendário para a execução da obra”.

Para Vítor Fernandes, “os cidadãos do Oeste merecem mais”. Edgar Ximenes, do MVC, declarou que não está muito otimista em relação à proposta do Governo. João Diniz, do CDS, sustentou que “a revitalização da linha é importante”. António Cipriano, do PSD, afirmou que “passaram vários governos e as promessas nunca passaram do papel”.

O presidente da Câmara, Tinta Ferreira, frisou que a autarquia tem sido “pressionadora relativamente à necessidade de requalificação e eletrificação da Linha”.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Despiste de mota mortal

Um homem de 44 anos morreu na tarde do passado domingo no Cadaval, na sequência do despiste da mota que conduzia.

Brass Dass animou ruas da cidade

No âmbito do programa de Animação de Verão 2022, promovido pela Câmara Municipal de Caldas da Rainha, em parceria com o Centro Cultural e de Congressos de Caldas da Rainha, decorreu no passado sábado mais uma arruada pela cidade.

anima