Q

Previsão do tempo

15° C
  • Saturday 20° C
  • Sunday 20° C
  • Monday 19° C
15° C
  • Saturday 21° C
  • Sunday 21° C
  • Monday 19° C
16° C
  • Saturday 22° C
  • Sunday 22° C
  • Monday 20° C
Obra reclamada pelos agricultores há 40 anos

Construção da estação elevatória de rega das baixas de Óbidos começa este mês

Marlene Sousa
2 de Março, 2016
A construção da estação elevatória de rega do aproveitamento hidroagrícola das baixas de Óbidos vai iniciar já este mês de março. O anúncio foi feito no passado dia 29, no Convento de São Miguel, nas Gaeiras, onde o secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Amândio Torres, presidiu à assinatura do auto de consignação da empreitada da estação elevatória da rede de rega dos terrenos agrícolas de Óbidos.
O secretário de estado Amândio Torres presidiu à assinatura do auto de consignação da empreitada

O empreiteiro que ganhou o concurso público foi o consórcio composto por Oliveiras S.A e Sotecnogaio S.A., que vai brevemente começar a montar o estaleiro.

A obra, integrada num projeto de aproveitamento hidroagrícola e que tem o orçamento total de 40,1 milhões de euros, é reclamada há 40 anos pelos agricultores.

A construção da barragem do Arnoia e infraestruturas, concluídas em 2005, absorveu já 14 milhões de euros, mas, apesar de concluída, a barragem não teve aproveitamento nos últimos dez anos, por faltar concluir a rede de rega. Depois de concluída irá permitir irrigar 1185 hectares de terrenos e servir quase mil agricultores dos concelhos de Óbidos e Bombarral.

A obra consignada é referente à primeira fase da rede de rega e contemplará a construção de uma estação elevatória orçada em 4,6 milhões de euros.

Na segunda fase serão construídas uma rede de rega com 45800 metros e uma rede de drenagem com 49500 metros, totalizando a obra cerca de 28 milhões de euros (mais IVA).

O secretário de Estado espera que no máximo dentro de dois anos a obra de regadio esteja concluída. “É uma obra pública há muito tempo almejada pelos agricultores”, lembrou Amândio Torres, considerando que a rede de rega “irá permitir dar um novo fôlego à iniciativa privada e contribuir para a afirmação cada vez maior da agricultura desta região”.

Segundo o governante, é “este tipo de investimentos que faz a diferença e que, bem utilizado pelos empresários agrícolas, irá contribuir para alavancar o setor agrícola como uma das áreas de atividade que pode contribuir positivamente para a balança comercial do país” e o “necessário equilíbrio entre as importações e as exportações”.

Para o presidente da Câmara de Óbidos, este ato “tem uma importância extraordinária”, para “um conjunto de agricultores que começou desde logo a fazer investimentos com recursos a fundos comunitários, mas também com financiamento próprio na expectativa de ter a rede de rega a funcionar”. Humberto Marques revelou que a obra representa o “aumento da produtividade dos nossos terrenos agrícolas” e “vai permitir triplicar as culturas, sobretudo hortícolas, na região”.

O autarca aproveitou a venda do membro do governo para revelar a necessidade de implementara rastreabilidadedos produtos agrícolas, com o objetivo de conseguir uma distribuição de preço mais justa na cadeia de valor e aumento de rendimento dos produtores.

Humberto Marques defendeu ainda perante o governante a alteração legislativa do diploma de constituição de novas organizações de produtores com o objetivo de os beneficar. Pediu também que as apólices dos seguros de colheita sejam feitas em fevereiro em vez de final de março e princípio de abril, dando o exemplo dos prejuízos que houve com o granizo que caiu no passado fim de semana.

Filipe Daniel, presidente da Associação de Regantes, recordou a luta de quase de 40 anos para conseguir esta obra, que vai permitir um acréscimo de produção e que irá desenvolver economicamente a região, revelando que “só 60% da área cultivada já é irrigada”, representando um contributo de “2% para o Produto Interno Bruto (PIB)”.

A cumprirem-se os prazos para a conclusão dos três blocos de rega incluídos no projeto (Óbidos, Amoreira e Bombarral), a expectativa deste responsável é que, dentro de ano e meio “possamos ter a rede de rega a funcionar e duplicar a nossa contribuição para o PIB”.

Para Telmo Faria, presidente da Assembleia Municipal de Óbidos, manifestou que “estamos aqui a abrir a porta para um caso sério daquilo que pode ser o desenvolvimento agrícola”, garantindo que haverá uma grande resposta dos agricultores a este investimento público.

Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Isabel Ricardo apresenta livros infanto-juvenis

A escritora Isabel Ricardo, com vários livros publicados para crianças, jovens e adultos, vai estar nas Caldas da Rainha, nos dias 28, 29 e 30 de outubro, a fim de apresentar os seus recentes livros: O Dragão Trapalhão, destinado a crianças entre os 6 e os 8 anos, e Os Piratas da Falésia, da coleção Os Aventureiros, dirigido a um público entre 9 e os 12 anos.

isabel

Mobiliário hospitalar renovado

Com o intuito de prestar melhores cuidados aos utentes e de proporcionar melhores condições aos profissionais, o Centro Hospitalar do Oeste (CHO) adquiriu 40 camas elétricas e 130 mesas de cabeceira e leito, traduzindo-se num investimento de 106.177,04 euros.

mobiliario