Q

Previsão do tempo

15° C
  • Wednesday 23° C
  • Thursday 24° C
  • Friday 27° C
15° C
  • Wednesday 23° C
  • Thursday 24° C
  • Friday 27° C
15° C
  • Wednesday 25° C
  • Thursday 26° C
  • Friday 30° C
Obra reclamada pelos agricultores há 40 anos

Construção da estação elevatória de rega das baixas de Óbidos começa este mês

Marlene Sousa

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A construção da estação elevatória de rega do aproveitamento hidroagrícola das baixas de Óbidos vai iniciar já este mês de março. O anúncio foi feito no passado dia 29, no Convento de São Miguel, nas Gaeiras, onde o secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Amândio Torres, presidiu à assinatura do auto de consignação da empreitada da estação elevatória da rede de rega dos terrenos agrícolas de Óbidos.
O secretário de estado Amândio Torres presidiu à assinatura do auto de consignação da empreitada

O empreiteiro que ganhou o concurso público foi o consórcio composto por Oliveiras S.A e Sotecnogaio S.A., que vai brevemente começar a montar o estaleiro.

A obra, integrada num projeto de aproveitamento hidroagrícola e que tem o orçamento total de 40,1 milhões de euros, é reclamada há 40 anos pelos agricultores.

A construção da barragem do Arnoia e infraestruturas, concluídas em 2005, absorveu já 14 milhões de euros, mas, apesar de concluída, a barragem não teve aproveitamento nos últimos dez anos, por faltar concluir a rede de rega. Depois de concluída irá permitir irrigar 1185 hectares de terrenos e servir quase mil agricultores dos concelhos de Óbidos e Bombarral.

A obra consignada é referente à primeira fase da rede de rega e contemplará a construção de uma estação elevatória orçada em 4,6 milhões de euros.

Na segunda fase serão construídas uma rede de rega com 45800 metros e uma rede de drenagem com 49500 metros, totalizando a obra cerca de 28 milhões de euros (mais IVA).

O secretário de Estado espera que no máximo dentro de dois anos a obra de regadio esteja concluída. “É uma obra pública há muito tempo almejada pelos agricultores”, lembrou Amândio Torres, considerando que a rede de rega “irá permitir dar um novo fôlego à iniciativa privada e contribuir para a afirmação cada vez maior da agricultura desta região”.

Segundo o governante, é “este tipo de investimentos que faz a diferença e que, bem utilizado pelos empresários agrícolas, irá contribuir para alavancar o setor agrícola como uma das áreas de atividade que pode contribuir positivamente para a balança comercial do país” e o “necessário equilíbrio entre as importações e as exportações”.

Para o presidente da Câmara de Óbidos, este ato “tem uma importância extraordinária”, para “um conjunto de agricultores que começou desde logo a fazer investimentos com recursos a fundos comunitários, mas também com financiamento próprio na expectativa de ter a rede de rega a funcionar”. Humberto Marques revelou que a obra representa o “aumento da produtividade dos nossos terrenos agrícolas” e “vai permitir triplicar as culturas, sobretudo hortícolas, na região”.

O autarca aproveitou a venda do membro do governo para revelar a necessidade de implementara rastreabilidadedos produtos agrícolas, com o objetivo de conseguir uma distribuição de preço mais justa na cadeia de valor e aumento de rendimento dos produtores.

Humberto Marques defendeu ainda perante o governante a alteração legislativa do diploma de constituição de novas organizações de produtores com o objetivo de os beneficar. Pediu também que as apólices dos seguros de colheita sejam feitas em fevereiro em vez de final de março e princípio de abril, dando o exemplo dos prejuízos que houve com o granizo que caiu no passado fim de semana.

Filipe Daniel, presidente da Associação de Regantes, recordou a luta de quase de 40 anos para conseguir esta obra, que vai permitir um acréscimo de produção e que irá desenvolver economicamente a região, revelando que “só 60% da área cultivada já é irrigada”, representando um contributo de “2% para o Produto Interno Bruto (PIB)”.

A cumprirem-se os prazos para a conclusão dos três blocos de rega incluídos no projeto (Óbidos, Amoreira e Bombarral), a expectativa deste responsável é que, dentro de ano e meio “possamos ter a rede de rega a funcionar e duplicar a nossa contribuição para o PIB”.

Para Telmo Faria, presidente da Assembleia Municipal de Óbidos, manifestou que “estamos aqui a abrir a porta para um caso sério daquilo que pode ser o desenvolvimento agrícola”, garantindo que haverá uma grande resposta dos agricultores a este investimento público.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Incêndio consome artigos para famílias carenciadas

Um incêndio em instalações da Paróquia de Peniche, que serviam de espaço de armazenamento de artigos para ajudar famílias carenciadas, consumiu parte dos produtos, entre roupas e alimentos, na tarde desta terça-feira, 4 de outubro.

stella

Tributo a Chico Buarque

"Quem Te Viu, Quem Te Vê" é o título de um tributo a Chico Buarque, que acontecerá no dia 13 de outubro, pelas 21h30, no Grande Auditório do Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha.

chico