Q

Previsão do tempo

22° C
  • Thursday 25° C
  • Friday 25° C
  • Saturday 25° C
23° C
  • Thursday 25° C
  • Friday 26° C
  • Saturday 25° C
23° C
  • Thursday 28° C
  • Friday 28° C
  • Saturday 27° C

Abóbora da Lourinhã e Moscatel de Setúbal foram as estrelas do menu da EHTO

Marlene Sousa

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A Abóbora da Lourinhã e de Atalaia e o Moscatel de Setúbal, foram os ingredientes-estrelas do menu do projeto “Raízes” – desenvolvido pela Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste (EHTO), nas Caldas da Rainha, no passado dia 17.
Almoço na EHTO

53% da produção nacional de abóbora concentra-se na Lourinhã e de Atalaia e o vinho emblemático da Região Vitivinícola da Península de Setúbal, um dos tesouros dos vinhos portugueses. Ambos os produtos estiveram unidos numa refeição que agradou aos clientes presentes no almoço que decorreu no restaurante da EHTO.

Da entrada à sobremesa, a abóbora esteve presente nos diversos pratos servidos. A decisão foi dos finalistas do curso Técnicas de Cozinha/Pastelaria, responsáveis pelo menu, que inspiraram-se neste ingrediente vulgarmente usado na sopa mas que pode ser o rei de muitos outros pratos. Além de versátil, a abóbora é rica em vitamina C e em vitamina A, betacarotenos e antioxidantes, protege o sistema imunitário e combate o envelhecimento.

A abóbora de Atalaia esteve presente no aperitivo onde os alunos do curso Técnicas de Serviço de Restauração e Bebidas criaram o “Pumpkin Taste”, composto por gin, sumo de limão, clara de ovo, xarope de abóbora e de amêndoa.

Salmão marinado em moscatel com ovo cozido a baixa temperatura foi a entrada servida seguida de uma sopa de abóbora e gengibre.

Pregado suado em moscatel com migas de amêndoa e esferificação de abóbora foi o prato principal seguido da sobremesa: parfait de baunilha com sopa fria de abóbora. No final, a acompanhar o Malo Moscatel de Setúbal foram servidos bolinhos húngaros de abóbora.

A escolha das bebidas e a gestão do serviço de sala foram tarefas de quatro alunos do curso Técnicas de Serviço de Restauração e Bebidas, que escolheram para acompanhar os pratos vinho espumante “Pegões” e Fonte do Nico a partir de uvas da casta Moscatel (90%) e Arinto (10%) de Setúbal.

Este projeto está relacionado com o universo da alimentação saudável e sustentável, e procura desenvolver junto dos alunos o gosto e interesse pela descoberta da origem primordial dos produtos alimentares, suas características e a sua história.

Festival da Abóbora

Para falar da abóbora esteve presente no almoço Pedro Margarido, presidente da União de Freguesias de Lourinhã e Atalaia. Recordou que quando se candidatou, a proposta da Junta foi criar o Festival da Abóbora de Lourinhã e Atalaia, que já vai na segunda edição e decorre no final de outubro com o intuito de valorizar a produção e comercialização da abóbora e dos produtos derivados deste fruto, uma vez que o concelho representa 53% da produção nacional de abóbora. “A nível nacional não havia nenhum evento de abóbora e dado ao seu sucesso estamos já a preparar a terceira edição”, revelou Pedro Margarido.

Segundo informação da União de Freguesias de Lourinhã e Atalaia em 2014 (dados do INE – Estatísticas Agrícolas) foram produzidas e comercializadas na Zona Oeste 36 231,86 toneladas de abóboras e das 68 362 toneladas a nível nacional, a Lourinhã apresentou nesse ano 26 811,58 toneladas.

Nuno Vieira disse que produz cerca de 700 toneladas de abóbora por ano, vendida a nível nacional e exportada para Alemanha, França e outros países do norte da europa.

“O reconhecimento dos Moscatéis de Setúbal tem vindo a consolidar-se, também no panorama internacional. Refletem a excelência deste grande vinho generoso que tem especificidades únicas e que é produzido apenas na Península de Setúbal”, referiu Henrique Soares, presidente da Comissão Vitivinícola da Península de Setúbal, entidade responsável pela certificação dos vinhos com Denominação de Origem “Moscatel de Setúbal” e “Moscatel Roxo de Setúbal”..

Criada associação da EHTO

Vários clientes habituais nos almoços temáticos da EHTO juntaram-se e criaram uma associação de amizade e colaboração com a escola. O mentor da Liga dos Amigos da EHTO foi José Salgado, hoteleiro ligado à fundação da escola de hotelaria de Lisboa e que agora vive em São Martinho do Porto. “O objetivo é promover a imagem da EHTO e os produtos da região”, disse José Salgado, revelando que “não há quotização, o que existe é um trabalho em rede para divulgar a escola”.

A associação que é composta nesta fase inicial por dez elementos e está a aberta a mais pessoas.

Os membros fundadores são José Manuel Salgado, São Martinho do Porto; Manuel Freire, Cantor – A-dos Negros / Óbidos; Francisco Coutinho, Comendador – Leiria; Leonel Almeida, Coto / Caldas da Rainha; Evaristo de Sousa, A-dos-Negros / Óbidos; José Capinha, A-dos Negros / Óbidos;António Ferreira, Caldas da Rainha; Fernando Perdigão, Caldas da Rainha e Fernando Monteiro, Caldas da Rainha.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Esculturas feitas de plástico alertam para a poluição das praias e oceanos

A Nazaré é um dos locais que recebem as esculturas da artista Soraia Domingos, feitas com plástico e resíduos não passíveis de serem reciclados, recolhidos na costa portuguesa pela Marinha Portuguesa, ao abrigo do projeto TransforMAR, do Lidl. Todo o restante material plástico, passível de ser reciclado, será convertido em t-shirts.

plastico