Q

Previsão do tempo

16° C
  • Monday 16° C
  • Tuesday 14° C
  • Wednesday 17° C
16° C
  • Monday 16° C
  • Tuesday 15° C
  • Wednesday 17° C
15° C
  • Monday 16° C
  • Tuesday 15° C
  • Wednesday 17° C
Semana Europeia da Mobilidade

A deslocação na cidade e o futuro dos transportes públicos

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
A Semana Europeia da Mobilidade contou nas Caldas da Rainha com diversas atividades, terminando com a conferência “A Mobilidade nos Centros Urbanos”, em que o consultor sénior em transportes e especialista no assunto, Robert Stussi, disse que a “mobilidade urbana, não se faz só de obras mas também pormenores”, dando como exemplo o site da Câmara das Caldas. Durante a sessão também foram focados outros temas como a importância da conjugação dos vários meios de deslocação nas cidades e o futuro do transporte rodoviário. Robert Stussi tem experiência nas áreas do ensino e investigação, bem como é consultor independente e assessor em diversas entidades municipais e governamentais. Começou por falar sobre o site da Câmara das Caldas, espaço de consulta dos serviços, em que “a informação está lá, mas é difícil de encontrar”. Foi através do recurso ao Google que deu a conhecer a relevância do espaço virtual, na questão da mobilidade urbana. O consultor sénior disse ainda que tentou fazer um percurso desde Tornada até a uma habitação próxima da central rodoviária, utilizando novamente o motor de busca Google, que lhe indicou somente um percurso a pé. Posteriormente tentou o mesmo na sua terra natal, onde o mesmo destacou as linhas de transportes urbanos. Assim destacou a importância do espaço virtual para os utilizadores ocasionais.
Robert Stussi, consultor sénior em transportes e especialista na mobilidade urbana

O especialista também referiu algumas das “barreiras que se colocam aos utilizadores dos transportes públicos”, como a falta de informação, as tarifas serem mais caras e a falta de wi-fi gratuito, aspetos que provocam o “desinteresse para quem quer utilizar os transportes da rede urbana”.

Durante a intervenção também destacou conceitos como a partilha de transporte, como sucede em alguns países, o teletrabalho como forma de fugir às horas de maior afluência nas grandes cidades e os circuitos pedonais e utilização de bicicleta. Segundo Robert Stussi, existe um estudo que indica que os circuitos pedonais e a bicicleta representam 50% das formas de deslocação nas cidades de média dimensão europeias.

Jorge Gorito, representante do Instituto de Cidades e Vilas com Mobilidade, foi outro dos oradores da conferência. Afirmou que as cidades na sua construção criaram barreiras e dedicaram mais espaço aos automóveis do que aos espaços públicos. Sendo uma “arrogância do espaço, pois dedicamos mais espaços ao tráfego automóvel do que aos peões, que querem circulação a pé ou de bicicleta”.

“Há pouco espaço destinado ao peão e ao ciclista, como tal devemos pensar na infraestrutura do peão como temos pensado na infraestrutura para o automóvel”, afirmou o representante, acrescentando que à medida que “aumentamos a circulação automóvel em determinado arruamento, vão-se perdendo as relações entre pessoas”.

A utilização muito mais equitativa de cada um dos meios de locomoção tem sido o caminho traçado um pouco por todo o lado, nos planos de regeneração das cidades, com uma relação que tem privilegiado a socialização dos habitantes. Também defendeu que a utilização do automóvel é cada vez mais um erro, pois tem de ser “doseada face ao espaço disponível”.

Segundo Jorge Gorito, as cidades têm de “reutilizar os espaços e conceder mais áreas a outros usos que não só o automóvel”, através de uma dinâmica entre atividade económica e a socialização entre os peões. Também defendeu a ideia de integração dos transportes, interligando a utilização da bicicleta com os transportes públicos.

A utilização dos transportes complementares tem efeitos energéticos, com a diminuição de emissões de gases e de níveis de ruído e ainda tem benefícios para a saúde dos utentes. Assim, o objetivo é “criar cidades mais felizes, com melhores condições para quem anda a pé“.

O gerente da Rodoviária do Oeste, Orlando Ferreira, também falou sobre os transportes públicos no futuro, em relação à tecnologia e à organização. Disse que o futuro passa pela “integração a nível local de intermobilidade e sistemas de informação que vão possibilitar os utentes saber o tempo que falta para sair o próximo autocarro”.

Orlando Ferreira adiantou que no futuro o setor vai depender das autarquias, que deverão ter em conta não só o preço mas principalmente o serviço final ao utente. Em relação aos temas referenciados durante a sessão, o vice-presidente da Câmara, Hugo Oliveira, referiu que as obras de regeneração urbana possibilitaram um “novo paradigma à cidade e maiores equilíbrios entre as zonas pedonais e vias para automóveis”. Afirmou igualmente que a decisão de manter a gare no centro da cidade permite que quem venha visitar a cidade, fique no centro, junto do comércio e das acessibilidades.

O autarca referiu que no concurso para os parquímetros serão tidos em conta sistemas que possam indicar a informação online dos lugares de estacionamento disponíveis.

Mariana Martinho

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Concurso de gastronomia coreana ganho por alunos da EHTO

Os alunos da Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste, do curso de Gestão e Produção de Cozinha (3.º semestre), Inês Silva e Rodrigo Fé, formaram a equipa vencedora do Concurso de Gastronomia Coreana Hansik Contest 2022, que decorreu no passado dia 25 na Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve.

coreana

Aluno da EHTO no MasterChef

Guilherme Romão, aluno da Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste, das Caldas da Rainha, no Curso de Padaria Avançada 2021 (sexta edição), está a participar na nova temporada do Programa "MasterChef Portugal".

guilherme

Peniche com campeão de muay thai

O Município de Peniche soma mais um campeão nacional, desta feita, o atleta Cláudio Figueiras, da classe de cadete do MSA-Sitnarong Muay Thai Camp Peniche/Portugal.

claudio