Q

Previsão do tempo

17° C
  • Wednesday 19° C
  • Thursday 19° C
  • Friday 20° C
18° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 19° C
  • Friday 20° C
18° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 20° C
  • Friday 21° C

O artista caldense, Carlos Oliveira criou escultura de “Cristo e seus Apóstolos”

29 de Julho, 2015
O escultor e ceramista caldense, Carlos Oliveira é o autor dos elementos escultóricos, da Igreja de São Joaquim e Santana, em Porto Salvo (Oeiras). Trata-se de um conjunto representativo de “Cristo e seus Apóstolos” e os santos Joaquim e Ana, pais de Nossa Senhora que estão no interior do templo.
“Cristo e seus Apóstolos” na Igreja de São Joaquim e Santana, em Porto Salvo (Oeiras)

Com a altura de dois metros e trinta, as figuras de Cristo e seus apóstolos estão inseridas na parede que foi cuidadosamenteforradacomfolha de ouro pela esposa de Carlos Oliveira.

No passado domingo, no dia 26 de julho foi sagrada em Porto Salvo, a nova Igreja Paroquial dedicada a São Joaquim e Santa Ana. A Cerimónia foi presidida pelo Cardeal Patriarca de Lisboa D. Manuel Clemente que durante a homilia se referiu a Carlos Oliveira, como o “Escultor Caldense que conseguiu o milagre de dotar o novo templo com um conjunto monumental que ficará para sempre na memória e na história religiosa do Concelho de Oeiras”.

Foi com muito orgulho que Carlos Oliveira e sua família marcaram presença. Estiveram também presentes na cerimónia amigos caldenses de Carlos Oliveira que se sentiram vaidosos pelo fato do autor das esculturas de incontornável importância artística ser das Caldas da Rainha.

O artista tem outro trabalho dedicado ao Papa João Paulo II na praça/adro da Igreja de São Joaquim e Santana. É uma escultura, com 5,20 metros de altura que representa João Paulo II e foi inaugurado no dia 19 de julho.

A escultura foi modelada em barro e depois de feito o molde em silicone e fibra, foi feita uma reprodução final em alabastro.

Carlos Oliveira também fez a figura do Papa João Paulo II em bronze para comercializar. Uma destas peças que tem o peso de 12 quilos foi oferecida ao Cardeal Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente.

O convite para fazer os trabalhos monumentais foi feito ao escultor pela Irmandade de Nossa Senhora de Porto Salvo, depois de conhecer a Cruz que o escultor fez para entregar ao Papa Francisco.

O artista caldense demorou um ano e meio para fazer as esculturas que estão incluídas num espaço destinado ao Centro Social e Paroquial de Porto Salvo.

Para o conjunto representativo de Cristo e seus apóstolos, o artista captou sentimento e movimento. “O párocode Porto Salvo, padreAbílio Lucas, trabalhou comigo na caracterização e identificação de cada apóstolo”, explicou, o artista, acrescentando que lhe levou informação histórica, bíblica e teológica. “Aquilo que eu propus como obra deste grupo de apóstolos é que tiveram um caminho árduo, texturado mas brilhante, daí a parede forrada em folha de ouro”, explicou, Carlos, Oliveira, acrescentando que “o olhar destas figuras tinha que ser marcante e tocar cada visitante profundamente”. Para cada apóstolo, o artista teve em conta as origens e idade.

Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Caldas eliminou Espinho e segue em frente na Taça de Portugal

Foi com um golo de cabeça de João Rodrigues (“Tarzan”), ao segundo minuto da primeira parte do prolongamento, que o Caldas Sport Clube (Liga 3) eliminou o Sporting Clube de Espinho (Campeonato de Portugal) na terceira eliminatória da Taça de Portugal em futebol, no passado sábado, no Estádio Marques da Silva, em Ovar.

caldas 1

Espaço AbraçAr-te abre portas

O Espaço AbraçAr-te, na Rua Principal, nº 56, em Mata de Porto Mouro, Santa Catarina, nas Caldas da Rainha, abre portas com o espetáculo Raiz, numa criação de Daniel Seabra e Mafalda Gonçalves, e música de Miguel De.

FOLIO considerado “um ponto obrigatório no roteiro dos escritores”

O FOLIO – Festival Literário Internacional de Óbidos regressou na passada quinta-feira às ruas da vila, numa edição dedicada a “O Outro”. O evento, que termina no próximo domingo e que conta com 175 autores e escritores presentes em 161 atividades, entre as quais 16 mesas de autor e debates, 23 concertos e 12 exposições, foi “o primeiro evento, desde o início da pandemia, que nos uniu à volta do que é o mais importante nas nossas vidas: a literatura”.

folio1