Q

Previsão do tempo

19° C
  • Tuesday 21° C
  • Wednesday 22° C
  • Thursday 20° C
20° C
  • Tuesday 21° C
  • Wednesday 23° C
  • Thursday 21° C
21° C
  • Tuesday 23° C
  • Wednesday 24° C
  • Thursday 22° C

Barulho na montagem das bancas na Praça da Fruta comentado em “Pontos de Vista”

Francisco Gomes
19 de Maio, 2015
O ruído na montagem das bancas na Praça da Fruta, que incomoda de madrugada os moradores naquela zona, foi comentada no programa “Pontos de Vista”, parceria entre a Mais Oeste Rádio e o Jornal das Caldas.
Alexandre Cunha, do Bloco de Esquerda, Emanuel Pontes, do MVC, Vítor Fernandes, do PCP, António Cipriano, do PSD, Manuel Nunes, do PS, e Rui Gonçalves, do CDS

Vítor Fernandes, do PCP, aponta que “há uma lei nacional que diz não permite que não haja barulho das 20h às 8h”. “É um problema complicado e se os materiais fossem outros, que amortecessem os barulhos que agora estão a causar os problemas, seria diferente. Se as pessoas não têm tranquilidade, dificilmente alguém vai habitar no centro histórico se tiver de acordar com os barulhos a partir das cinco da manhã, mas acredito que também pode haver falta de cuidado no manuseamento”.

António Cipriano, do PSD, sublinhou as propostas do MVC para minorar o barulho que possa existir na Praça da Fruta. “A Praça terá sempre algum barulho. Não se pode pensar que só se possa começar a montar às oito da manhã, não é praticável. Demora tempo a montar e tem de ser feito cedo Tem de se sensibilizar as pessoas para tentarem minorar o barulho” e haver fiscalização para não começarem antes da hora aprovada”, comentou.

Emanuel Pontes, do MVC, referiu que “há formas de minimizar o barulho que existe”, criticando que “quando se pretende implementar uma medida, deve-se verificar o impacto que vai ter”.

Rui Gonçalves, do CDS, afirmou que “há uma lei do ruído que rege estas ncoisas. E o regulamento não está em conformidade com a lei e é llegal. A solução devia ter sido pensada antes da concepção das bancas. Tem de haver um plano municipal de redução de ruído, mapas de ruído e classificação das zonas em função do ruído. Para além da questão legal, temos de pensar no repovoamento da cidade, senão as pessoas não vão para lá morar”.

Alexandre Cunha, do Bloco de Esquerda,, considerou que o problema seria resolvido “se houvesse outros materiais ou sistemas de montagem”. “Podia falar-se com a comunidade estudantil na ESAD.CR, onde há designers industriais, para arranjar uma solução”, adiantou.

Manuel Nunes, do PS, afirmou que “o material utilizado na montagem das bancas não pode ser para aquele sítio”. O socialista disse estar convencido de que a queixa de uma moradora pode trazer dissabores à Câmara.

Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Protocolo apoia estudantes de Moçambique

A Câmara Municipal das Caldas da Rainha, o Politécnico de Leiria (IPL) e o Instituto de Bolsas de Moçambique assinaram, no passado sábado, um protocolo de cooperação que vai apoiar quatro estudantes de Moçambique que ingressem nos cursos Técnicos Superiores Profissionais ministrados pelo IPL.

protocolo

Carlota Canas Franca campeã em Alcobaça

Decorreu no Clube de Ténis de Alcobaça mais uma edição do torneio "Os Caloiros", prova oficial da Federação Portuguesa de Ténis destinada aos escalões de Sub12 e Sub16.

tenis 1

Caldas Rugby Clube mantém invencibilidade

Em jogo da 3ª jornada do campeonato nacional - Fase Apuramento Zona Sul, o Caldas Rugby Clube deslocou-se ao sintético do GD Direito, em Monsanto, para defrontar o ER Galiza, com bastante público afeto às duas equipas.

rugby 1