Q

Previsão do tempo

16° C
  • Sunday 22° C
  • Monday 23° C
  • Tuesday 21° C
17° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 24° C
  • Tuesday 21° C
17° C
  • Sunday 26° C
  • Monday 26° C
  • Tuesday 23° C

Presidente do Movimento Revolução Branca em sessão do MVC

nês Lopes

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
No dia 21, o auditório da sede da União de Freguesias Nossa Senhora do Pópulo, Coto e São Gregório encheu para assistir à iniciativa "21 às 21" do Movimento Viver o Concelho (MVC), que recebeu PauloMelo Romeira, presidente do Movimento Revolução Branca (MRB). Criado em junho de 2012, o MRB é um movimento cívico, apartidário e tem na sua génese o sentimento de inconformismo e revolta de diversos cidadãos, de áreas e formações distintas, representadas por diferentes gerações.
Teresa Serrenho e Paulo Melo Romeira

Apesar de ter mais de 10 mil seguidores nas redes sociais, o presidente do movimento considera que o MRB é fechado e restrito, para que possam ser tomadas decisões. “Se nos abrirmos, vão entrar no nosso seio pessoas que vão minar todo o processo”, disse Paulo Romeira.

O cravo branco, símbolo do MRB, segundo Paulo Romeira, simboliza a dignidade dos cidadãos através da cor e o cravo demonstra que “pretendemos dar continuidade às conquistas do 25 de abril”, explicou o dirigente do movimento.

O movimento cívico, sedeado em Gondomar, tem como principais objetivos, “consciencializar e esclarecer os cidadãos portugueses das causas reais que levaram o Estado à situação de três “bancarrotas” em 40 anos”. O MRB pretende ainda “impedir a “escravatura” dos cidadãos portugueses por parte de partidos políticos e interesses económicos e devolver a dignidade a todos os portugueses, colocando o Estado ao serviço dos cidadãos e não os cidadãos ao serviço do Estado”.

Paulo Romeira considera que o termo “revolução” é levado muito ao extremo, quando no fundo é uma ação de realizar mudanças profundas. Uma das mudanças apontadas pelo dirigente do movimento está relacionada com a exclusividade de acesso dos partidos políticos às eleições legislativas. “A Constituição Portuguesa e as leis eleitorais têm que ser alteradas, permitindo que a sociedade civil possa candidatar-se às eleições”, sustentou.

Licenciado em Gestão de Empresas, Paulo Romeira atualmente desenvolve a sua atividade como docente e formador. Descreveu que o MRB nada tem contra os partidos políticos, antes pelo contrário, por considerar que os partidos políticos são um pilar fundamental na democracia. “O nosso combate é contra a classe política, antes e pós-troika”, concluiu.

Inês Lopes

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Condutor de motociclo morre em colisão com trator

Um homem de 63 anos morreu após a colisão entre o motociclo que conduzia e um trator na EN8, no cruzamento para o Casal Pardo, na freguesia de Alfeizerão, nesta sexta-feira, pelas 19h35.

estrada 1