Q

Previsão do tempo

16° C
  • Saturday 21° C
  • Sunday 20° C
  • Monday 19° C
16° C
  • Saturday 21° C
  • Sunday 20° C
  • Monday 19° C
17° C
  • Saturday 23° C
  • Sunday 22° C
  • Monday 20° C

Pescadores querem utilizar casas da Berlenga

12 de Junho, 2014
O Bairro dos Pescadores da ilha da Berlenga possui 16 casas-abrigo, construídas pela comunidade piscatória nos tempos em que se pescava a partir de embarcações a remo e havia necessidade de pernoitar na ilha. A Segurança Social fez uma parceria com o município de Peniche no sentido de lhe entregar a administração das casas e a autarquia decidiu atribuir três delas às empresas marítimo-turísticas, que durante o verão têm trabalhadores na ilha, duas para o futuro Centro Interpretativo da Berlenga e as restantes aos pescadores.

Além disso, criou um regulamento de utilização, que esteve em consulta pública, e lançou concurso, em agosto de 2013, para atribuição das habitações, estando a decorrer há vários meses a avaliação de todas as candidaturas.

Segundo a agência Lusa, alguns pescadores e operadores das embarcações marítimo-turísticas foram à última sessão de câmara pública pedir para o processo ser agilizado, quando está a começar mais um verão e o número de trabalhadores na ilha aumenta.

A comunidade alertou que o bairro está “abandonado há três anos e há pescadores a pescar na ilha de noite e não têm lá condições para pernoitar”.

Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Isabel Ricardo apresenta livros infanto-juvenis

A escritora Isabel Ricardo, com vários livros publicados para crianças, jovens e adultos, vai estar nas Caldas da Rainha, nos dias 28, 29 e 30 de outubro, a fim de apresentar os seus recentes livros: O Dragão Trapalhão, destinado a crianças entre os 6 e os 8 anos, e Os Piratas da Falésia, da coleção Os Aventureiros, dirigido a um público entre 9 e os 12 anos.

isabel

Mobiliário hospitalar renovado

Com o intuito de prestar melhores cuidados aos utentes e de proporcionar melhores condições aos profissionais, o Centro Hospitalar do Oeste (CHO) adquiriu 40 camas elétricas e 130 mesas de cabeceira e leito, traduzindo-se num investimento de 106.177,04 euros.

mobiliario