Q

Previsão do tempo

15° C
  • Monday 18° C
  • Tuesday 20° C
  • Wednesday 22° C
15° C
  • Monday 18° C
  • Tuesday 20° C
  • Wednesday 23° C
15° C
  • Monday 19° C
  • Tuesday 22° C
  • Wednesday 25° C

Explosões em pedreira assustam funcionários da Janela Digital

Francisco Gomes

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Os 60 funcionários da Janela Digital, empresa no Parque Tecnológico de Óbidos, estão preocupados com a intensidade dos rebentamentos numa pedreira próxima das instalações.
Elisabete Silva mostra um dos vidros rachados (foto Carlos Barroso)

Vidros partidos e paredes rachadas são danos visíveis, mas até agora as vibrações medidas têm estado dentro do limite da lei, segundo o Ministério da Economia.

Desde 2010 que os rebentamentos na pedreira afetam a Janela Digital, segundo alegam os responsáveis da empresa. As fendas nas paredes e os vidros rachados já não são novidade para os trabalhadores, mas a última explosão, na passada sexta-feira, originou um violento abalo no edifício. Tão violento que grande parte dos trabalhadores entrou em pânico, pensando mesmo que o edifício iria ruir.

“Já temos sentido mais explosões, algumas muito fortes, mas esta foi unanimemente a maior. De repente o edifício começou a tremer e as pessoas ficaram aflitas”, relatou Miguel Castro, web-designer da empresa, que sustenta que a situação “causa stress, porque parece que estamos num cenário de guerra”.

A empresa do Parque Tecnológico de Óbidos alega ter milhares de euros de prejuízos. “Têm sido provocados danos estruturais em paredes e vidros. É uma constante quase todos os meses e nós é que temos estado a suportar os valores. Neste momento foram já cinco mil euros só em vidros e ainda não orçamentámos os custos das paredes rachadas”, apontou Elisabete Silva, diretora da Janela Digital.

Uma das salas da empresa foi evacuada e desativada porque os trabalhadores têm medo de lá estar. “Com o estrondo a parede da sala rachou e começou a cair o teto e os colaboradores recusaram-se a ficar naquela sala”, indicou, revelando que foi apresentada queixa aos Ministérios da Economia e da Administração Interna, Agência Portuguesa do Ambiente, Serviços de Ambiente da GNR e da Câmara de Óbidos.

Apesar dos esforços para obter a versão da empresa que explora a pedreira, não foi possível em tempo útil contatá-la através dos números disponíveis. Contudo, até agora, segundo o Ministério da Economia, as vibrações relativas aos rebentamentos têm estado dentro do limite da tolerância admissível, dando razão à sociedade de extração de gesso na pedreira, que se encontra legalizada.

Francisco Gomes

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Estudantes visitam Paul de Tornada

A Associação PATO recebeu duas turmas da Escola Secundária Raul Proença, que realizaram um conjunto de atividades de voluntariado, explorando a Reserva Natural do Paul de Tornada numa visita guiada, contribuíram para o nascimento de um jardim sensorial e efetuaram ainda uma monitorização ambiental na Lagoa de Óbidos com o Projeto Coastwatch, recolhendo muito lixo marinho.

pato

Jovens portugueses e finlandeses em intercâmbio

Entre os dias 1 e 8 de abril, a Associação Juvenil de Peniche foi palco de um intercâmbio sob a temática da arte e sustentabilidade. O evento recebeu a participação de doze jovens, de Portugal e Finlândia, com idades entre os 15 e os 25 anos.

intercambio

Curso Avançado de Produção de Microalgas e Cultivos Auxiliares

O MARE - Politécnico de Leiria e a Escola Superior de Turismo e Tecnologias do Mar, em Peniche, vão promover uma nova edição do Curso Avançado de Produção de Microalgas e Cultivos Auxiliares, que pretende dar a conhecer as espécies de microalgas cultivadas em laboratório, métodos de cultivo, potencialidades como recursos marinhos, sistemas de produção, e os cultivos auxiliares que beneficiam e cujo valor nutricional pode ser modelado através da alimentação com microalgas. As inscrições estão abertas até dia 27 de maio.