Q

Previsão do tempo

15° C
  • Monday 13° C
  • Tuesday 13° C
  • Wednesday 13° C
15° C
  • Monday 13° C
  • Tuesday 13° C
  • Wednesday 13° C
15° C
  • Monday 13° C
  • Tuesday 13° C
  • Wednesday 13° C
EDITORIAL

Pela salvação nacional…

Clara Bernardino

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O presidente da República teve mais uma das suas ideias peregrinas. Agora lembrou-se de juntar os partidos que assinaram o memorando da troika em nome de um bem maior: a Pátria!

Hão de sentar-se à mesma mesa e tomar decisões importantes para as nossas vidas, que desde a revolução de abril têm sido muito mal geridas pelos partidos de maior expressão eleitoral: PS e PSD. Há poucos anos, o CDS/ PP tornou-se o fiel da balança para garantir o equilíbrio da maioria e garantir a governação.

Tem razão o presidente. Quem o escreveu, que o leia, que é como quem diz: quem assinou o memorando que se chegue à frente e garanta que os mercados não desconfiam de nós, que as bolsas não caem ainda mais e que o resto da Europa nos empresta mais dinheirinho enquanto não pagamos os calotes.

O problema é que os ditos senhores estão mais preocupados com o seu umbigo político do que com o bem da nação. Cada um deles faz lembrar o rei francês Luís XIV que dizia “O Estado sou eu”. Bem, há quem ainda não seja Estado, mas queira tanto sê-lo que até já se dá ares de majestade e se põe em bicos de pés, pondo-nos a nós em “estado de sítio”.

Se D. Afonso Henriques tivesse adivinhado o que fariam as gerações vindouras, com certeza não teria lutado tanto para que fossemos um povo independente de Espanha. Esse sim: confrontou a mãe e o avô, rei de Espanha, por um bem maior: um pedaço de chão a que deu o nome de Portugal. Correu o risco de ser deserdado, desprezado pela família, rejeitado por todos os povos da Europa. Nada o demoveu. Havia um bem maior que se impunha aos sacrifícios individuais. Mas homens dessa casta, o nosso chão já não dá há muito tempo.

Talvez por estar ao abandono desde há muito, a nossa terra só produz “fenómenos” políticos de qualidade duvidosa: falam muito não fazem nada; prometem muito, não cumprem nada; projetam muito, não acabam nada…

Não se pede muito a estes homens: não se lhes pede suor nem sangue, apenas que dialoguem e encontrem uma forma de renegociar a dívida de forma a aliviar a canga dos impostos que nos faz vergar todos os dias um pouco mais.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Arneirense com várias medalhas em pista coberta

A equipa feminina do Arneirense é campeã distrital e a masculina é vice-campeã distrital em sub18 pista coberta, após a última jornada do campeonato, que decorreu na passada quarta-feira e na qual a Escola de Atletismo do clube das Caldas da Rainha esteve presente com dez atletas.

arneirense

Nove escolas caldenses recebem Bandeira Verde Eco-Escolas

Nove escolas do concelho das Caldas da Rainha receberam o Galardão Eco-Escolas, pelo trabalho realizado ao longo do ano letivo 2020/2021 no âmbito da educação ambiental para a desenvolvimento sustentável.

bandeira

O Trump francês

Éric Zemmour é filho de judeus franceses argelinos, designa-se judeu berbere, tem um nome afrancesado — azemmur significa azeitona em cabila, a língua berbere da Argélia — e defende que os imigrantes devem afrancesar os nomes dos filhos. Acha inconcebível que um neto de imigrantes continue a chamar-se Mohammed. Diplomado pelo Instituto de Estudos Políticos de Paris (vulgo Sciences Po), jornalista, político, escritor, ensaísta, polemista, cronista…