Q

Previsão do tempo

14° C
  • Wednesday 20° C
  • Thursday 17° C
  • Friday 16° C
14° C
  • Wednesday 21° C
  • Thursday 17° C
  • Friday 17° C
14° C
  • Wednesday 22° C
  • Thursday 18° C
  • Friday 17° C

Bactéria legionella suspende tratamentos termais

Francisco Gomes

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Os tratamentos no Hospital Termal das Caldas da Rainha estão suspensos devido ao aparecimento da bactéria legionella nos sistemas de adução e distribuição, detetada na sequência das análises à água mineral natural não cumprirem os parâmetros microbiológicos legalmente exigidos.
Hospital Termal de novo a meio-gás/foto Carlos Barroso

Segundo Carlos Sá, presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar Oeste Norte (CHON), que gere o Hospital Termal Rainha D. Leonor, “foram já implementadas as medidas para o despiste e correção deste cenário, não sendo, contudo, possível determinar a data precisa de reativação dos tratamentos termais”.

A suspensão da atividade do hospital termal envolve a área de hidrobalneoterapia, mantendo-se em funcionamento as restantes atividades, nomeadamente o internamento de ortopedia, as consultas de psiquiatria e os tratamentos de medicina física e de reabilitação.

No dia 29 de junho os tratamentos tinham sido suspensos “por ter sido detetada uma avaria nos permutadores de calor (que permitem aquecer a água que é colhida por volta dos 34 graus para 50 graus e depois baixar para os 40 graus em que é distribuída)”.

Mesmo com a avaria no sistema de aquecimento e arrefecimento da água foram mantidas as análises, efetuadas no dia 3 de julho. Dois dias depois conheceram-se os resultados e foi decretada a suspensão dos tratamentos.

O presidente do CHON garantiu que “não havia nenhuma suspeita anterior”. “O que parece é que há uma relação direta entre avarias em equipamentos e depois o aparecimento de contaminações”, revelou.

Os tratamentos termais no Hospital Termal também estiveram suspensos entre 5 de janeiro e 27 de fevereiro, para manutenção anual das estruturas técnicas.

Na ocasião a administração do CHON anunciou que iria antecipar a habituais “intervenções corretivas nas infraestruturas técnicas”, por em alguns pontos de utilização terem sido identificados “parâmetros microbiológicos que aconselham as referidas intervenções”, nomeadamente a deteção de legionella nas águas.

PS exige “investigação criteriosa”

O Partido Socialista das Caldas da Rainha exigiu uma “investigação criteriosa” sobre o aparecimento da bactéria no Hospital Termal.

Em comunicado, o PS “levanta várias questões que entende ser da máxima urgência apurar, como o facto da monitorização da descontaminação poder não estar a respeitar o manual de procedimentos existente, bem como a prevenção antes do tempo quente poder não estar a ser realizada”.

“Fomos ainda informados que a equipa responsável pela desinfeção da água, conta agora com menos um elemento, será que isso está a afetar a qualidade do trabalho prestado?”, interrogam os socialistas.

“Em março de 2012, o presidente do CHON assumia que, ao fazer o orçamento, não tinha cabimentado o custo das análises laboratoriais feitas às águas do hospital termal, exigidas por lei, sem as quais o hospital termal não pode funcionar, tendo escrito, na altura, uma carta à Câmara das Caldas, pedindo que suportasse os custos das análises às águas do hospital termal ou a unidade de saúde encerraria”, recordam.

A presidente da comissão política do PS caldense, Catarina Paramos, mostra-se “perplexa” e quer saber se “houve negligência em alguma fase do processo”.

Caso tenha havido negligência “é preciso apurar os responsáveis”, apontando que “é esta a altura do ano que o Hospital Termal regista uma maior procura e um maior número de aquistas”, afirmou a dirigente.

“Só durante o ano de 2012 as termas das Caldas da Rainha já foram encerradas duas vezes, e os caldenses têm o direito de perceber porquê e a quem é que isto interessa. Além disso, que estratégia tem implementado a atual administração do CHON na divulgação e promoção da natureza única e singular das nossas águas, por forma a aumentar o número de termalistas?”, questionou.

Francisco Gomes

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Pensado um grande parque que crie nas Caldas uma centralidade urbana de cultura, saúde e bem-estar

O Masterplan do Termalismo, apresentado pelo arquiteto urbanista Bruno Soares, na sessão da Assembleia Municipal que decorreu a 16 de abril, defende criar nas Caldas da Rainha um grande Parque das Termas, que totaliza cerca de 40 hectares no seu conjunto. O objetivo principal é fazer a ligação entre o Parque D. Carlos I, a Mata D. Leonor, a Quinta da Boneca, Centro de Artes, o Museu de Cerâmica e o Centro Histórico das Termas, com a instalação de um percurso pedonal estruturante transversal.

masterplan 1

“É preciso criar uma maior consciencialização ambiental na população”

Emídio Sousa fez o seu primeiro ato público como secretário de Estado do Ambiente nas Caldas da Rainha, no âmbito da sessão de abertura da 30ª edição das Jornadas Pedagógicas de Educação Ambiental, que decorreram no Centro Cultural e de Congressos (CCC) entre os dias 19 e 21 de abril.

jornadas

Dino D’ Santiago no concerto de 14 de maio

Este ano o tradicional concerto de 14 de maio com o palco colocado na Praça 25 de Abril, junto ao edifício da Câmara Municipal das Caldas da Rainha, será protagonizado pelo músico e compositor Dino D' Santiago, atualmente um dos artistas mais aclamados pelo público em Portugal.

dino santiago