Q

Previsão do tempo

27° C
  • Tuesday 24° C
  • Wednesday 23° C
  • Thursday 24° C
27° C
  • Tuesday 25° C
  • Wednesday 24° C
  • Thursday 25° C
25° C
  • Tuesday 27° C
  • Wednesday 25° C
  • Thursday 27° C
EDITORIAL

O DESEMPREGO NÃO É UMA OPORTUNIDADE

Jaime Costa

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Perante o aumento brutal do desemprego, o 1º ministro afirmou: “despedir-se ou ser despedido não tem de ser um estigma, tem de representar também uma oportunidade para mudar de vida” Bem mais sensata foi a opinião do ministro da economia, Vitor Gaspar, ao declarar que o desemprego “é uma tragédia”.

Claro que face ao aumento diário dessa chaga social as afirmações de Passos Coelho são incompreensíveis. Não se trata de um problema de estigma mas de sobrevivência.

Na maioria dos casos, quem está desempregado deixa de ter meios para fazer face às múltiplas despesas diárias – casa, água, electricidade, gaz, alimentação, saúde, etc, etc.

Para além do sofrimento pessoal que o desemprego origina, ao desperdiçar-se força de trabalho a economia fica mais fragilizada e a segurança social afunda-se, o que compromete a sustentabilidade do sistema, logo o pagamento das reformas.

Em contraponto às declarações do 1º ministro a troika, na última avaliação que fez ao país, mostrou-se preocupada e até surpreendida, com um tão elevado número de desempregados em Portugal.

Ora, a confirmar-se as previsões que apontam no sentido do aumento progressivo da taxa de desemprego, avizinham-se dias cada vez mais difíceis para os portugueses, uma demonstração clara do fracasso das medidas de austeridade que apenas tem conduzido ao empobrecimento geral da população.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Contratação de pessoas com deficiência e incapacidade

Apoios à Contratação de Pessoas com Deficiência e Incapacidade” foi o tema da sessão de Informação promovida pela Cercipeniche, no passado dia 28, no âmbito da aprovação de um projeto candidatado ao Instituto Nacional para a Reabilitação.

sessao

Arte musical do Ocidente – O classicismo

O século XVIII foi extremamente inovador em termos musicais. Em meados dessa centúria, Franz Joseph Haydn (1732-1809) ao utilizar figuras mais moderadas de expressão; Carl Philipp Emanuel Bach (1714-1788) ao purificar a harmonia no estilo de composição; Christoph Willibald von Gluck (1714-1787) ao imputar a primazia da música instrumental sobre os improvisos vocais da ópera napolitana; Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) ao redefinir a sinfonia e modificar a música de câmara; Ludwig van Beethoven (1770-1827) ao ampliar a linguagem e o conteúdo musical (impulsionando o início da autonomia da forma, dando mais expressão às emoções e mais realce à consonância harmónica), entre outros, ditaram a transmutação do barroco para o classicismo.