Q

Previsão do tempo

16° C
  • Sunday 22° C
  • Monday 23° C
  • Tuesday 21° C
17° C
  • Sunday 23° C
  • Monday 24° C
  • Tuesday 21° C
17° C
  • Sunday 26° C
  • Monday 26° C
  • Tuesday 23° C

Casamento: o árduo caminho da felicidade

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Muito se tem falado de crise e de desemprego, entre outras dificuldades. Mas, apesar disso, tenho visto pessoas muito felizes nas ruas, nos cafés, nas lojas, etc. O povo português sempre teve esta característica, de saber sofrer, mas conseguir, ao mesmo tempo, dar a volta por cima dos problemas. Este aspeto que constatei recentemente, deixou-me […]

Muito se tem falado de crise e de desemprego, entre outras dificuldades. Mas, apesar disso, tenho visto pessoas muito felizes nas ruas, nos cafés, nas lojas, etc. O povo português sempre teve esta característica, de saber sofrer, mas conseguir, ao mesmo tempo, dar a volta por cima dos problemas. Este aspeto que constatei recentemente, deixou-me a pensar porque haverá tantos divórcios e uniões de facto neste país. Parece que ao falar de casamento, ou problemas no casamento, a coisa complica-se. Falei com alguns casais amigos e percebi então, duas possíveis causas para este insucesso: falta de confiança e atitude controladora. Bom, posso já adiantar que todas as pessoas precisam que se confie nelas, ou seja, que lhes demos oportunidade de crescer nas suas qualidades e talentos, que as encorajemos a dar o seu melhor – e nunca começar por colocar entraves ou impedimentos. Por outro lado, não vale de nada que quem convive connosco faça as coisas, ou aja de determinada maneira, porque andamos sempre a controlar. De facto a sociedade está toda orientada para que não se perceba a verdade das coisas; e mesmo o que é dado como verdade adquirida, mais cedo ou mais tarde é alvo de inúmeros argumentos que procuram desconstruí-la até se diluir por completo. Ora, neste sentido, não se pode confiar no que não se conhece. Mas, apesar da crise instalada, pode-se contornar o problema com aguns truques. Saliento, antes de prosseguir, que o Papa Bento XVI tem insistido muitíssimo em que confiemos no rosto de Cristo, que o procuremos no meio da nossa vida e nos outros, pois Ele está connosco e esta é a única verdade, da qual brotam todas as verdades da nossa vida. Tomemos consciência de que o casamento é querido por Deus, logo é uma coisa boa e humanamento possível de suportar. E se há menos casamentos e mais divórcios, esse facto deve-se à descristianização da sociedade. Por mais dificuldades que encontremos, devemos sempre ter presente que a falta de confiança torna o cônjuge inseguro em relação a nós, igualmente desconfiado, e uma relação só cresce na confiança. E, da mesma forma, não vale de nada tentar controlar o que o outro faz a toda a hora, pois isso pode atentar contra a sua liberdade e tornar-se um desrespeito. Muitas vezes estas atitudes devem-se a defeitos de educação em criança, a problemas que já vivemos e que deixaram marca, ou por termos visto acontecer com pessoas próximas (família ou amigos). O importante é mudar estas atitudes. Como? Muito simples: 1) reconhecer o problema: uma pessoa que se examina regularmente, de uma forma reta, tem uma consciência bem formada, e quer conhecer-se como é e poder melhorar. Não há mal em ter defeitos, mas é preciso ativamente, querer superá-los; 2) assumir um compromisso de crescer em confiança primeiramente em Deus, depois no cônjuge e em todas as pessoas que conhecemos. Ver sempre tudo pelo lado do Bem; pedir ajuda a Deus e ao sacerdote ajudam. Mas, acima de tudo, é saber despojar-se do medo de ser enganado. Toda a gente pode errar ou fazer coisas que nos desagradam mas, se estamos todo o tempo mais preocupados em proteger-nos para não sofrer, não nos conseguimos relacionar com ninguém; 3) aprender a perdoar, não só quem nos ofende, de forma direta ou indireta, mas também esquecendo situações que podem abalar a nossa confiança (coisas que nos poderão melindrar); 4) procurar ser pessoas virtuosas: humildes, alegres, com Fé. As pessoas alegres são jovens até mais tarde, mas são por norma, muito otimistas e vivem melhor a entrega, uma vez que vivem para os outros. Quem ama dá de si, e é isto que torna o casamento uma relação aparentemente difícil. Mas basta que nos esforcemos um bocadinho, para obtermos os melhores resultados até ao fim da vida (com esforço, mas com muita alegria). Filomena Borges Gonçalves

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Condutor de motociclo morre em colisão com trator

Um homem de 63 anos morreu após a colisão entre o motociclo que conduzia e um trator na EN8, no cruzamento para o Casal Pardo, na freguesia de Alfeizerão, nesta sexta-feira, pelas 19h35.

estrada 1