Q

Previsão do tempo

14° C
  • Friday 14° C
  • Saturday 13° C
  • Sunday 15° C
14° C
  • Friday 14° C
  • Saturday 13° C
  • Sunday 15° C
14° C
  • Friday 14° C
  • Saturday 13° C
  • Sunday 16° C

Ucraniana indiciada por incêndio mortal

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Ministério Público quer apresentações periódicas na PSP O Ministério Público (MP) das Caldas da Rainha recorreu da medida de coação aplicada à mulher indiciada como autora material do incêndio que vitimou três pessoas na zona histórica da cidade, por considerar haver perigo de fuga. “Eu praticamente não saio de casa porque ainda estou a recuperar […]

Ministério Público quer apresentações periódicas na PSP O Ministério Público (MP) das Caldas da Rainha recorreu da medida de coação aplicada à mulher indiciada como autora material do incêndio que vitimou três pessoas na zona histórica da cidade, por considerar haver perigo de fuga. “Eu praticamente não saio de casa porque ainda estou a recuperar das queimaduras, mas se o tribunal decidir, tenho que me apresentar na PSP”, disse à lusa Diana Kabanchuk, confirmando ter sido informada de que o Ministério Público quer alterar a medida de coação para apresentações periódicas na PSP. Diana Kabanchuk, de 32 anos e nacionalidade ucraniana, foi detida a 7 de Fevereiro pela Polícia Judiciária, na sequência de um incêndio na zona histórica das Caldas da Rainha, que causou três vítimas mortais, cinco feridos que receberam tratamento hospitalar e ferimentos ligeiros em duas pessoas que foram assistidas no local. Na sequência da investigação desenvolvida, a PJ considerou que o fogo terá tido início numa vela que tombou para o sofá, incendiando o quarto onde Diana se encontrava a dormir. A moradora do apartamento foi ouvida a 8 de Fevereiro pelo Juiz de Instrução Criminal, que lhe aplicou a medida de coacção termo de identidade e residência. O MP efectuou um recurso para o Tribunal da Relação de Lisboa, pedindo a revogação do despacho e aplicação de apresentações periódicas na PSP. “Querem que me apresente na PSP, porque acham que posso fugir, mas a minha situação não mudou e já disse que não penso sair de Portugal”, acrescentou Diana Kabanchuk. Contactada pela Lusa a procuradora adjunta Maria Leonor Cardiga mostrou-se indisponível para prestar quaisquer esclarecimentos. A defensora oficiosa de Diana Kabanchuk confirmou ter sido notificada do recurso, mas escusou-se a fazer qualquer comentário.

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Proteção Civil com simulacros durante uma semana

Ao longo de mais de uma semana, entre 4 e 14 de março, o Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC) das Caldas da Rainha realiza o Caldex’24, um programa que inclui exposição de meios e simulacros de incêndios, resgate no mar, roubo de automóvel e acidente de viação.

protecao1

Suspeito de homicídio terá sido ajudado

Luís Lopes, o homem acusado pelo Ministério Público (MP) de homicídio qualificado e profanação de cadáver do seu companheiro, em abril do ano passado, em Adão Lobo, no concelho do Cadaval, não será o único arguido a sentar-se no banco dos réus, no início do julgamento, a 18 de março, às 14h00, no Tribunal de Loures, sede da Comarca de Lisboa Norte.

crime

Ciclista da Ribafria venceu a primeira etapa da Taça de Portugal de Masters

Um ciclista do CRP Ribafria | Grupo Parapedra – Dinazoo – Riomagic venceu a primeira etapa da Taça de Portugal de Masters em Taveiro – Coimbra, no dia 25 de fevereiro. É uma corrida em que os atletas competem pela liderança entre escalões, sendo esta prova composta por cinco etapas.

ciclista