Q

Previsão do tempo

6° C
  • Monday 11° C
  • Tuesday 12° C
  • Wednesday 12° C
6° C
  • Monday 10° C
  • Tuesday 12° C
  • Wednesday 12° C
5° C
  • Monday 10° C
  • Tuesday 12° C
  • Wednesday 12° C

CENTENÁRIO DA IMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
Vultos da República 16º. Artigo Luís Manuel Tudella Augusto César de Almeida Vasconcelos Correia, mais conhecido por Augusto de Vasconcelos, nasceu na cidade de Lisboa a 25 de Setembro de 1867, filho de Júlio César de Vasconcelos Correia e de sua mulher Constança de Almeida Vasconcelos. Foi médico, professor de Medicina na Faculdade de Medicina […]
CENTENÁRIO DA IMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA

Vultos da República 16º. Artigo Luís Manuel Tudella Augusto César de Almeida Vasconcelos Correia, mais conhecido por Augusto de Vasconcelos, nasceu na cidade de Lisboa a 25 de Setembro de 1867, filho de Júlio César de Vasconcelos Correia e de sua mulher Constança de Almeida Vasconcelos. Foi médico, professor de Medicina na Faculdade de Medicina de Lisboa, político e diplomata português da Primeira República. Frequentou e licenciou-se na Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa no ano de 1891, com a tese de Higiene Hospitalar. Nosocomialismo e Microbismo. Em Novembro de 1899 foi nomeado demonstrador da secção cirúrgica, e no ano de 1903 ascende a lente substituto. Em 1906 alcança a cátedra de Anatomia Descritiva e Topografia. Desempenhou diversos cargos de relevo como médico; director de enfermaria no Hospital do Desterro; cirurgião – chefe do Hospital de São José; director clínico e enfermeiro – mor dos Hospitais Civis. Augusto Vasconcelos desde tenra idade defendeu os ideais republicanos, de índole moderada. Era considerado amigo pessoal de Afonso Costa e politicamente próximo de Brito Camacho. Escreveu no diário A Pátria conjuntamente com Higino de Sousa e Cipriano da Fonseca. Aquando da Implantação da República, desempenhava as funções de Presidente da Comissão Municipal do Partido Republicano, cooperando de imediato com o Governo Provisório, para integrar uma comissão encarregada de proceder a um inquérito aos serviços do Ministério dos Negócios Estrangeiros. Em Março de 1911 foi nomeado enviado Extraordinário e Ministro Plenipotenciário em Madrid, sendo exonerado em 12 de Outubro corrente. É nomeado Ministro dos Negócios Estrangeiros neste mês de Outubro, na governação de João Chagas. Após as incursões monárquicas de Outubro do mesmo ano e subsequente crise ministerial, forma um governo de 12 de Novembro de 1911 a 16 de Junho de 1912, no qual exerce a Presidência acumulando a pasta dos Negócios Estrangeiros. Em Junho de 1912, após vários incidentes parlamentares o Governo pede e demissão encarregando-o de formar novo governo, o qual declinou, mantendo contudo a pasta dos Estrangeiros. Em 1913, com Afonso Costa como Presidente do Governo, foi nomeado Ministro de Portugal em Madrid, onde se manteve até 1914. Entre 1914 e 1919 Augusto Vasconcelos foi transferido para Londres como ministro Plenipotenciário, altura em que a embaixada tinha um papel crucial na condução política do conflito (1ª.Guerra Mundial). Terminada a guerra chefiou no ano de 1919 a delegação portuguesa à Conferência de Paz em Paris. Desempenhou o cargo de senador pelo Porto entre 1922-1925 e 1925-1926. Foi colocado na Sociedade das Nações, organismo no qual foi delegado português em 1934-1935, presidindo nessa altura à respectiva Assembleia Geral. Desenvolveu uma acção de relevo com esforços diplomáticos para pôr termo à Guerra do Chaco, que opôs no ano de 1935 a Bolívia ao Paraguai. No ano de 1937 por atingir o limite de idade pede a sua exoneração do cargo. Foi sócio titular da Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa, da Associação dos Médicos Portugueses, e da Assistência Nacional aos Tuberculosos e membro de muitas mais instituições estrangeiras. Colaborou em diversas revistas cientificas de Medicina, e nos periódicos País e Mundo. Faleceu em Lisboa a 27 de Setembro de 1951. F I M Bibliografia: wikipedia.org/wiki/Augusto; Óbidos – Janeiro de 2011

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Últimas

Artigos Relacionados

Afonso Lopes Vieira

O autor em epígrafe deixou uma indelével marca na história da literatura em língua portuguesa. Nascido em Leiria, a 26 de janeiro de 1878, dono de um virtuosismo encantador e de singular afetividade, foi um profícuo homem de letras e um precursor do cinema e da fotografia. A sua veia literária, além da poesia, das conferências e dos textos para a tenra infância, estendeu-se, também, para as adaptações e as traduções.

Procissão das chouriças

Decorreram entre 20 e 22 de janeiro, em Valado dos Frades, na Nazaré, as Festas em Honra de São Sebastião, tendo o ponto alto sido a procissão, em que participaram dezenas de grupos com os seus andores de oferendas e devoção religiosa, e o famoso leilão das...

chouricas

Óbidos no Congresso Nacional de Desporto

No passado dia 23 de janeiro realizou-se em Barcelos o Congresso Nacional de Municípios Amigos do Desporto, com a participação de 167 autarquias, entre as quais a de Óbidos, tendo sido partilhadas algumas práticas de programas desenvolvidos em diferentes...

congresso