Q

Previsão do tempo

23° C
  • Friday 25° C
  • Saturday 25° C
  • Sunday 22° C
23° C
  • Friday 26° C
  • Saturday 25° C
  • Sunday 22° C
28° C
  • Friday 28° C
  • Saturday 27° C
  • Sunday 24° C

Imposto sobre lucro das empresas pode ir até aos 1,5%

EXCLUSIVO

ASSINE JÁ
O imposto sobre os lucros das empresas, a derrama foi aprovada na Assembleia Municipal das Caldas da Rainha com 28 votos a favor e sete abstenções, com alguns deputados a querem saber onde vai ser investido este imposto extraordinário. “O imposto pode ir até aos 1,5%, sendo que o número de empresas que contribui ao […]
Imposto sobre lucro das empresas pode ir até aos 1,5

O imposto sobre os lucros das empresas, a derrama foi aprovada na Assembleia Municipal das Caldas da Rainha com 28 votos a favor e sete abstenções, com alguns deputados a querem saber onde vai ser investido este imposto extraordinário. “O imposto pode ir até aos 1,5%, sendo que o número de empresas que contribui ao nível de derrama não é muito. Há perto de uma dezena de empresas que contribui com cerca de 90% do contributo”. Esta foi a explicação do presidente da Câmara para a imposição do imposto sobre o lucro das empresas, tendo ainda acrescentado que “não estamos a aplicar o máximo, estamos a aplicar um valor que consideramos equilibrado e que não massacre em demasia as empresas”. Fernando Costa disse que a derrama “é uma taxa que tem interesse do ponto de vista municipal, porque representa cerca de 600 mil euros”. No entanto, disse que a derrama “tem vindo a reduzir”. “Em 2005 representava um milhão, hoje representa 600 mil euros”, afirmou. O deputado do CDS-PP pediu coerência na aplicação dos impostos, ao mesmo tempo que estava a favor da aplicação da derrama por considerar um imposto extraordinário. “Entendemos que as contas do município são preocupantes e há razões para nos preocuparmos. Este imposto tem sido posto de forma ilegal e pouco ética. A derrama é um imposto excepcional para fazer face a despesas excepcionais. O que tem acontecido é que todos os anos se tem aplicado derrama às empresas e eu pergunto se é assim que querem atrair empresas. Passou-se a dizer que era um investimento para as zonas industriais, depois para o comércio. A nossa posição agora é de apoiar porque o momento que o país vive é excepcional. Desta vez vamos votar a favor. O que exigimos é que seja justificado. É preciso dizer para onde vai esta verba”, disse Duarte Nuno. Do lado da CDU, Vítor Fernandes mostrou-se favorável à inclusão da derrama, mas pediu para que fossem incluídos escalões de modo “a taxar mais quem tem mais lucros”. O comunista apresentou a proposta de isentar, “por cinco anos, quem se instalasse nas Caldas na perspectiva de atrair investimentos para o concelho”. O deputado independente do PS, Mário Pacheco, lembrou que “nunca foi apresentado como se gastaram as verbas deste imposto extraordinário”. Carlos Barroso

(0)
Comentários
.

0 Comentários

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Líder do PCP diz que a construção do novo hospital do Oeste é uma opção do Governo 

O secretário-geral do PCP, Paulo Raimundo, esteve na Festa de Verão do PCP, junto ao Penedo Furado, na Foz do Arelho, no passado dia 14, e disse que a construção do novo hospital do Oeste nesta legislatura é “uma questão de opção do Governo”. “Não me venham dizer que não há dinheiro, é mentira. São precisas opções”, afirmou.

PCP 1

Novo presidente do Rotary quer ajudar os bombeiros com a compra de aparelhos respiratórios

O empresário Luiz Gomes assumiu, no passado dia 8, a liderança do Rotary Club das Caldas da Rainha, sucedendo na função a Hélia Silva na cerimónia de transmissão de tarefas que decorreu no restaurante “A Lareira”, com o lema “A Magia do Rotary”, numa alusão à capacidade que cada rotário tem em melhorar a comunidade onde se enquadra.

presidente 1

Escultura de homenagem à PSP deixa polícias emocionados pela ligação à comunidade

Foi inaugurada na passada sexta-feira uma escultura de homenagem à PSP na sede da Divisão Policial das Caldas da Rainha, a propósito dos 150 anos do Comando Distrital. Peça da autoria de Carlos Oliveira em parceria com a empresa MVC Portuguese Limestones, representa “um gesto de apreço pela entrega abnegada dos nossos polícias no que fazem na defesa dos que mais precisam”, considerou o superintendente, Luís Carrilho, diretor nacional da PSP, presente na cerimónia.

escultura1 1